Terça, 20 de Fevereiro de 2018

testemunhas

Justiça ouve cinco testemunhas do Caso Zeola

30 NOV 2010Por Vânya santos05h:05

Cinco das oito testemunhas de acusação contra o procurador aposentado Carlos Alberto Zeola, assassino confesso do sobrinho Cláudio Alexander Joaquim Zeola, de 23 anos, prestaram depoimento na manhã de ontem, no Fórum da Capital. Na ocasião, o juiz da 1ª Vara dos Crimes Dolosos contra a Vida e Tribunal do Júri de Campo Grande, Carlos Alberto Garcete, proibiu a imprensa de acompanhar a audiência. Segundo funcionários da 1ª Vara, a proibição teria ocorrido porque o acusado sofre de problemas psicológicos e o magistrado temeu que a presença de profissionais da imprensa pudesse atrapalhar o procedimento.

Das oito testemunhas, cinco prestaram depoimento. O Ministério Público Estadual (MPE) desistiu da oitiva de duas pessoas e insistiu no depoimento da testemunha Natália Pereira dos Santos, que havia sido intimada para a audiência, mas não compareceu. O magistrado determinou que ela seja ouvida amanhã, às 8h30min, juntamente com as testemunhas de defesa de Zeola. O acusado, seu advogado Ricardo Trad e representantes do MPE também foram intimados para participar da próxima sessão.

Assassinato
Cláudio Alexander seguia para uma academia de ginástica, localizada na Rua Bahia, Bairro Jardim dos Estados, em Campo Grande, na manhã do dia 3 de março do ano passado, quando foi surpreendido pelo tio. Na ocasião, o procurador Zeola efetuou um disparo de arma de fogo em direção a cabeça da vítima. Após o crime, ele fugiu em seu carro conduzido por um adolescente, que ainda não foi responsabilizado pela participação no episódio.

Leia Também