Justiça nega candidatura a coronel condenado

Justiça nega candidatura a coronel condenado
29/07/2010 23:15 -


Fernanda Brigatti

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) recusou o registro da candidatura do coronel Isoli Paulo Fontoura (PV), que atualmente cumpre pena de natureza criminal e está com seus direitos políticos cassados. Essa foi a primeira tentativa de registro negada pela Justiça Eleitoral em Mato Grosso do Sul nas eleições deste ano.
O pleno também recusou Cibely Rabelo de Assis Abussafi (PSL), cuja transferência de domicílio eleitoral, em 2009, foi feita fora do prazo (12 meses antes da eleição). Nenhum dos dois tinha impugnação contra suas candidaturas, mas foram barrados pelo TRE. Ambos ainda podem recorrer da decisão no Tribunal Superior Eleitoral.
Já seis candidatos cujos registros foram questionados pela Procuradoria Regional Eleitoral conseguiram ser confirmados na disputa deste ano. O TRE recusou os pedidos de impugnação e aprovou os registros de candidatura de Maria do Socorro Zózimo da Silva (PP), Vilma Brito da Silva Leal (PT) e Lauro Sérgio Davi (PSB), a deputado estadual, e Iara Neves de Souza (PT), Simone Paim dos Santos de Almeida (PDT), Vicente de Souza Lichoti (PT), a federal.
smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".