Justiça mantém suplentes como vereadores

Justiça mantém suplentes como vereadores
10/02/2010 22:43 -


O Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul concedeu ontem decisão favorável à manutenção dos suplentes Maria Cristina Lanza (PT) Roberto Gomes Façanha (PMDB) Antônio Juliano de Barros (ex- PDT e hoje PSDB) e João Lucas Martins (PP) no cargo de vereador em Corumbá. Numa reviravolta, a decisão derrubou a liminar, do próprio TJMS, em mandado impetrado pela prefeitura suspendendo a posse. Em Dourados, cinco suplentes – Laudir Munaretto (PMDB), Elias Iyshi de Mattos (PT), Walter Hora (PPS), Edva ldo Moreira (PDT) e Geraldo Salles (PSDC) – também recorreram ao TJ-MS requerendo posse na Câmara. O julgamento será no dia 23 deste mês. O Legislativo da cidade tem 12 cadeiras, mas a lei orgânica prevê 17 vagas. Os suplentes douradenses se baseiam em decisão favorável em outra cidade do interior do estado. Em Itaporã, o juiz Adriano da Rosa Bastos determinou posse dos suplentes Édio Barreto (PMDB) e Sérgio Barcellos (PT) como vereadores, conforme o número de vagas previsto na Lei Orgânica do Município.
smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".