Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

Justiça condena professores da Unir a pagar R$ 30 mil a aluno vítima de bullying

Justiça condena professores da Unir a pagar R$ 30 mil a aluno vítima de bullying
17/07/2012 02:00 - r7


A Justiça Federal de Rondônia condenou a Unir (Universidade Federal de Rondônia) pela prática de bullying contra o estudante de medicina Rafael Santos Rodrigues Vieira.

O aluno, que prestou vestibular para a universidade em 2009, pediu revisão da prova de redação que aumentou sua nota e o colocou em 25° colocado no resultado final. Mesmo assim, Vieira teve sua matrícula negada com o argumento que todas as vagas teriam sido preenchidas.

De acordo com nota divulgada pela Justiça, a matrícula do rapaz teria gerado comportamento ostensivo dos colegas de classe que o chamavam de “janeleiro”, “mandado de segurança” e de “reclassificado”.

Ainda de acordo com a publicação da Justiça, o rapaz teria sofrido “tratamento diferenciado que lhe foi dispensado pelos professores, indiferença dos demais colegas de sala, com a criação de comunidades virtuais nas quais sua imagem era cortada e troca de e-mail’s e senhas para os quais materiais de aula eram enviados, a fim de que não pudesse a eles ter acesso, prejudicando com isso seu desenvolvimento acadêmico, deliberação da assembléia de docentes para que seu nome não fosse incluído em lista de chamada e suas provas não fossem corrigidas; proibição de assistir à aula de Bioética, feita pelo próprio professor da disciplina e, até então, ocupante também da função de chefe do Curso de Medicina, sob a alegação de que o autor não possuía ética para estar presente à aula.”.

O Juiz Alysson Maia Fontenelle puniu dois professores universitários, que terão que pagar indenização proporcional a R$ 30 mil.

Procurada pela reportagem, a Unir ainda não tem uma posição sobre o caso.

Felpuda


Ao que tudo indica, partido teria criado “racha” apenas visando jogar para a plateia, e, assim, quem estava com a corda toda anunciou que se prepara para o desembarque. Nos bastidores o que se ouve é que o tal fundo partidário seria o motivo da desavença e que quem nunca comeu mel quando come se lambuza. Só que não. A estratégia é continuar “dono” da atual legenda e “tomar a frente” de partido que está em fase embrionária. Tudo inspirado na “velha política”.