Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

DANOS MORAIS E MATERIAIS

Justiça condena empresárias a pagar indenização

Justiça condena empresárias a pagar indenização
03/02/2014 14:30 - Gabriel Maymone


As proprietárias de uma empresa de laticínios de Dourados foram condenadas a pagar indenização de R$ 120 mil e uma pensão mensal a filha de uma das vítimas de acidente envolvendo um caminhão da empresa, em março de 2003. A sentença foi dada pela 2ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul.

Conforme a ação, em março de 2003, um caminhão de propriedade das empresárias foi rebocado por outro caminhão, também da empresa. Em certo momento, o caminhão rebocado invadiu a pista de ônibus de transporte de passageiros, que vinha em pista contrária. O acidente resultou na morte de quatro pessoas.

A empresa recorreu alegando que há provas da saída das proprietárias do quadro de sócios da empresa G. & L. Ltda., bem como a venda dos caminhões envolvidos no acidente que vitimou L.F.S., filho de J.L.F. e L.S.S. e pai de D.L.L.S., os apelados da ação. Também alegaram que os pais não teriam direito ao dano moral, já que não demonstraram dependência financeira em relação à vítima.

O relator do processo, desembargador Marcos José de Brito Rodrigues, justificou o não provimento do recurso alegando que foi comprovada a posse dos veículos pelas rés, bem como que possuem responsabilidade pelo ocorrido.

Da mesma forma, o relator acredita que os pais são aptos a receberem os danos morais, já que é “inegável o dano moral sofrido pelos autores, em razão da perda do filho, vítima de acidente causado, segundo constou da sentença, pelos motoristas dos caminhões de propriedade das apeladas”.

Felpuda


Ao que tudo indica, partido teria criado “racha” apenas visando jogar para a plateia, e, assim, quem estava com a corda toda anunciou que se prepara para o desembarque. Nos bastidores o que se ouve é que o tal fundo partidário seria o motivo da desavença e que quem nunca comeu mel quando come se lambuza. Só que não. A estratégia é continuar “dono” da atual legenda e “tomar a frente” de partido que está em fase embrionária. Tudo inspirado na “velha política”.