CASO YOKI

Justiça aceita denúncia e decreta prisão preventiva de Elize

Justiça aceita denúncia e decreta prisão preventiva de Elize
19/06/2012 17:06 - TERRA


O juiz Adilson Simone, do5º Tribunal do Júri da capital paulista, aceitou nesta terça-feira a prisão preventiva de Elize Matsunaga, que confessou ter matado e esquartejado seu companheiro, Marcos Kitano Matsunaga. O magistrado também aceitou a denúncia do Ministério Público contra Elize por homicídio doloso triplamente qualificado.

O promotor de Justiça José Carlos Cosenzo apresentou nesta terça-feira a denúncia contra Elize e o pedido de prisão preventiva da acusada, já que a prisão temporária da mulher do ex-executivo da Yoki vence na quinta-feira.

O promotor decidiu pelo homicídio triplamente qualificado porque considera que o crime foi praticado por motivo torpe, com meio cruel e sem chances de defesa à vítima. Elize também foi denunciada pelo crime de ocultação de cadáver, por ter esquartejado a vítima e ter desaparecido com as partes. Se for condenada por todos os crimes, Elize pode pegar pena máxima de 34 anos de prisão.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".