Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, terça, 20 de novembro de 2018

BANCOS

Juros baixos valem mais na teoria que na prática; para ter acesso, há custo

11 SET 2012Por ADRIANA MOLINA00h:02

Reynaldo Gianecchini e Camila Pitanga garantem que os juros estão muito menores, por conta dos pacotes lançados pelas instituições financeiras, em abril, e que já sofreram diversas reduções desde então. Na TV, até parece a oportunidade que faltava para aquele endividado resolver sua situação, trocando a dívida por uma bem mais barata ou, para os que têm um sonho de consumo, como casa ou carro, enfim realizá-lo. Mas, na prática, não é tão fácil e vantajoso assim.

Para se ter acesso a esses juros baixíssimos há um custo, literalmente. Apesar de não ser explícito na propaganda, todos os bancos são claros com os clientes que os procuram em busca do crédito – é preciso ter o que eles chamam de “um bom relacionamento”. Do contrário, pagam taxas maiores.

Esse relacionamento significa a quantidade de pacotes ou serviços contratados pelo cliente no banco – quanto mais você tiver, menos juros paga. Ele vai desde a aquisição uma conta corrente, compra de um seguro, previdência, cartão de crédito ou investimentos e aplicações. Ou seja, aquele barato, para alguém que ainda terá que criar o tal “relacionamento”, contratando esses produtos ou serviços, pode sair caro.
 

Leia mais no jornal Correio do Estado

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também