quarta, 18 de julho de 2018

MERCADO

Juro futuro já precifica, em parte, alta da taxa Selic em dezembro

2 DEZ 2010Por ESTADÃO18h:47

A aposta de alta da taxa Selic no curto prazo segue firme no mercado futuros de juros, adicionando prêmios às taxas projetadas pelos contratos futuros de depósito interfinanceiro (DI) negociados na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F). Os ajustes de alta são maiores nos contratos de DI que vencem em 2011, mas abrangem também vencimentos futuros de DI até 2014. Nem mesmo um desempenho menor que o esperado para a produção industrial brasileira em outubro e uma desaceleração da inflação na capital paulista medida pelo IPC-Fipe em novembro tiveram força para frear o avanço dos juros futuros hoje.

A elevação da taxa básica de juros da economia brasileira (Selic), hoje em 10,75% ao ano, é esperada de forma majoritária no mercado para a reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) do final de janeiro, a primeira no novo governo de Dilma Rousseff. Embora minoritárias, as apostas de alta da Selic na reunião do Copom que acontece na próxima semana são crescentes. E, de acordo com um operador, na dúvida se o momento de ajuste da taxa é dezembro ou janeiro, os agentes antecipam nas curvas dos DI futuros um ajuste de 0,25 ponto porcentual à taxa básica, o que a levaria a 11% ao ano.

Ao término da negociação normal na BM&F, entre os contratos de vencimento mais curtos, o DI de janeiro de 2011 projetava taxa de 10,839% ao ano, de 10,77% no ajuste de ontem, com 893.215 contratos negociados hoje; o DI de abril de 2011 avançava para 11,36% ao ano, de 11,21% ontem, com 236.815 contratos negociados; o de julho 2011 subia a 11,82% ao ano, de 11,67% ontem, com 186.180 contratos negociados; o DI de janeiro de 2012 marcava projeção de 12,24% ao ano, de 12,13% ontem, com 356.515 contratos negociados. Na divisão de longos e curtos, o DI de janeiro de 2013 subia a 12,36% ao ano, de 12,29% ontem, com 156.405 contratos negociados.

Entre os contratos longos, o DI de janeiro de 2014 avançava para 12,20% ao ano, de 12,14% no ajuste de ontem, com 25.275 contratos negociados; mas o DI de janeiro de 2017 já cedia para 11,98% ao ano, de 12,01% ontem, com 20.600  contratos; e o DI de janeiro 2021 caía para 12,01% ao ano, de 12,03%, com 3.550 contratos. De acordo com o mesmo operador, um eventual ajuste de alta mais cedo da Selic leva a expectativas de queda mais forte no longo prazo, daí a redução dos prêmios nessa ponta.

Leia Também