Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Julho termina com Bolsa em alta e dólar fecha a R$ 1,75

31 JUL 10 - 16h:41
São Paulo

A Bolsa de Valores de São Paulo conseguiu se estabilizar no terreno positivo na tarde de ontem, após a desvalorização do início da tarde de ontem, fechou acima dos 67 mil pontos pela primeira vez desde 3 de maio.
No exterior, a divulgação de crescimento abaixo do esperado nos Estados Unidos faz as Bolsas caírem em Wall Street, embora em ritmo menor que o registrado durante a manhã. Considerado o indicador mais importante da semana, o PIB (Produto Interno Bruto) norte-americano cresceu 2,4% no segundo trimestre, abaixo da previsão do mercado, de 2,6%, e do registrado nos três primeiros meses de 2010, 3,7%.
A melhora do cenário no mercado de ações em julho levou a taxa de câmbio doméstica a fechar o mês com a maior queda desde fevereiro. Além disso, a moeda norte-americana encerrou ontem no “piso” de R$ 1,75, o que não acontecia desde o dia 3 de maio, quando fechou cotada a R$ 1,732.
Nem mesmo os rumores de que o Banco Central considera a possibilidade de realizar um leilão de “swap cambial reverso”, instrumento que equivale à compra de dólar futuro e cria demanda pela moeda, para elevar as cotações, no mercado conseguiram reverter a tendência de queda da moeda neste mês.
O dólar comercial foi trocado por R$ 1,756, queda de 0,28%, nas últimas operações de ontem, na mínima do dia. Os preços da moeda americana oscilaram entre R$ 1,756 e R$ 1,766. Nas casas de câmbio paulistas, o dólar turismo foi vendido por R$ 1,880, estável.
Na semana, a queda na moeda foi de 2,7%, maior percentual desde os 4,1% de fevereiro.

Mercado
No mercado futuro de juros, que serve de referência para o custo dos empréstimos nos bancos, as taxas projetadas fecharam em queda.
No contrato para outubro deste ano, a taxa prevista caiu de 10,71% para 10,70%; no contrato para janeiro de 2011, a taxa projetada foi de 10,80% para 10,76%; e no contrato para janeiro de 2012, a taxa prevista caiu de 11,51% para 11,46%. 
Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Senado aprova divisão de recursos do pré-sal com estados e municípios
MEGALEILÃO DO PETRÓLEO

Senado aprova divisão de recursos do pré-sal

Já campeão, Brasil atropela Itália e termina invicto campanha no Japão
VOLÊI

Já campeão, Brasil atropela Itália e termina invicto

Dois são absolvidos de processo que envolve Puccinelli e Amorim
JUSTIÇA FEDERAL

Dois são absolvidos de processo que envolve André

No elenco de "A Dona do Pedaço", Lucy Ramos vibra com virada da personagem na trama
TELEVISÃO

No elenco de "A Dona do Pedaço", Lucy Ramos vibra com virada da personagem na trama

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião