terça, 17 de julho de 2018

SUCESSÃO EM DOURADOS

Juíza vai decidir sobre candidaturas registradas do PT

5 JAN 2011Por FABIO DORTA/DOURADOS18h:11

O vereador Elias Ishy cumpriu a promessa e contrariando a decisão do diretório municipal do PT de coligar com o DEM registrou individualmente na final da tarde de hoje (05) no cartório da 43ª Zona Eleitoral de Dourados sua candidatura a prefeito. O empresário Demamann, também filiado ao PT registrou sua candidatura a vice-prefeito.

Como o diretório municipal já havia no dia anterior registrado a coligação com o DEM, inclusive indicando a professora Dinaci Ranzi como candidata a vice na chapa de Murilo Zauith a decisão sobre o imbróglio vai ficar nas mãos da juíza eleitoral Dileta Terezinha de Souza Thomaz

 De acordo com a chefe do cartório da 43ª Zona Eleitoral Milca Pereira, a juíza Dileta terá cinco dias de prazo a contar de amanhã (quinta-feira), quando o pedido de registro será publicado, para dar a sentença, decidindo sobre a validade do registro das candidaturas de Ishy e Demamann.

Ao protocolar o pedido de registro da candidatura, Ishy afirmou que a decisão tomada pelo diretório municipal de coligar com Murilo é ilegal porque contraria decisão da Comissão Executiva Nacional do PT, que foi contrária à aliança com o DEM. “A decisão pela coligação fere os princípios do partido, além de que nós entendemos que o diretório municipal é uma instância inferior e não pode contrariar uma decisão de órgão nacional do partido”, afirmou.

O vereador disse que irá respeitar a decisão a ser tomada pela justiça eleitoral em Dourados, mas descartou a possibilidade dos grupos de esquerda do PT apoiaram a candidatura de Murilo, caso a sentença seja favorável à coligação. “Neste caso nós deveremos ficar de fora do processo eleitoral”, acrescentou.

O diretório municipal e o regional do PT deverão entrar nos com pedido de impugnação do registro da chapa de Ishy e Demamann, com o objetivo de fazer valer a decisão tomada no encontro regional e na convenção partidária de aliança com o DEM.

Leia Também