ESPORTES

Judocas encerram treinos para mundial da Turquia

Judocas encerram treinos para mundial da Turquia
04/03/2010 06:02 -


As judocas campo-grandenses Andréia Matos Canteiro e Victória Santos de Almeida e Silva encerraram ontem, a fase de treinos, em Campo Grande, visando o Campeonato Mundial de Judô Paraolímpico, que acontece entre os dias 25 e 28, na cidade de Antalya, na Turquia. No próximo domingo, as atletas seguem para São Paulo onde participam da fase final de preparação da seleção brasileira, com outras 11 atletas que representarão o País na competição. Na capital paulista serão 15 dias de treinamentos intensivos e o embarque para a Turquia será no dia 22. Atual vice-campeã mundial sub-19, Victória Santos, com 17 anos, sonha com o lugar mais alto do pódio. “Cheguei perto no ano passado com o segundo lugar e este ano estou trabalhando para garantir a medalha de ouro”, disse a atleta que lutará na categoria médio. A grande dificuldade da competição, segundo Victória, é não conhecer as adversárias. “Não temos informações sobre quem vamos enfrentar, mas acredito que o problema será para todos os participantes. O importante é estar bem preparada para conseguir o melhor resultado”, comentou a atleta. Por sua vez, Andréia mantém o pensamento positivo, mas está ansiosa por disputar sua primeira competição internacional. “Estou preparada e focada na conquista de uma medalha. Apesar de nunca ter disputado uma competição fora do Brasil, sei das dificuldades que vou encontrar”, declarou a judoca que vai lutar na categoria meio-leve.
smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".