quarta, 18 de julho de 2018

salário mínimo

Jucá será relator para política de valorização

21 FEV 2011Por com informações agência senado00h:00

O projeito de lei que fixa o piso salarial de 2011 em R$ 545 será votado nesta quarta-feira mas já por ocasião de sua aprovação na Câmara Federal, na última quarta-feira (16), o líder do governo, senador Romero Jucá (PMDB-RR) confirmou que será o relator que cria a política de valorização do salário mínimo. Pela proposta, até 2015, o salário mínimo passará por reajuste anual de acordo com índice da inflação do ano, mias o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) dos dois anos anteriores. Decreto presidencial divulgará a cada ano os valores mensais com base na fórmula definida.

“Daremos todas as explicações à base e votaremos o projeto da forma como ele veio da Câmara”, disse Jucá, adiantando que dará parecer contrário a todas as emendas apresentadas.

Se sofrer modificações no Senado, o projeto terá que voltar à Câmara, o que pode impedir que o novo mínimo entre em vigor a partir do dia 1º de março. A oposição já anunciou que pretende apresentar duas emendas. A primeira delas proporá um mínimo maior, de R$ 600. A segunda pretende suprimir do projeto o trecho que retira do Legislativo a prerrogativa de decidir sobre o valor do piso salarial nacional.

“O salário mínimo será fixado por lei. O decreto é apenas uma ação operacional”, disse Jucá em defesa do mecanismo.

Uma terceira emenda foi anunciada pelo senador Paulo Paim (PT-RS), que disse que irá propor que, além da inflação de 2010, o salário mínimo seja reajustado em mais 2,75%.
Jucá, que deverá encaminhar pedido de urgência para votação do projeto já na quarta-feira tanto na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) quanto no Plenário, disse ainda que entrará em acordo com as lideranças para que a votação das emendas seja feita nominalmente.

Leia Também