Jovem que acendeu rojão afirmou ter matado

Jovem que acendeu rojão afirmou ter matado
13/02/2014 21:00 - folhapress


Um colega de trabalho do auxiliar de serviços gerais Caio Silva de Souza, 22, afirmou à polícia que o jovem disse ter matado um homem por besteira após lançar o rojão que atingiu o cinegrafista da TV Bandeirantes Santiago Andrade, 49, numa manifestação, há uma semana, no centro do Rio.

A polícia não revelou o nome do colega que teria ouvido o desabafo de Souza. "Ele [colega] dizer que o Caio ligou pra ele, no dia, logo após o crime, por volta das 19h, dizendo que fez uma besteira e matou uma pessoa é mais uma prova evidente do crime", afirmou o delegado Maurício Luciano de Almeida.

Caio Souza foi preso na madrugada de ontem na Bahia. Ele foi transferido ao Rio de Janeiro, onde permanece preso. O advogado dele, Jonas Tadeu Nunes, afirmou que manifestantes recebiam R$ 150 para provocar tumultos em protestos, inclusive no que levou à morte do cinegrafista.

Além de Souza, Fábio Raposo também foi preso e indiciado pelos crimes de homicídio qualificado com dolo eventual e explosão de artefato. Eles podem pegar até 35 anos de prisão. 

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".