Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

EM UNIVERSIDADE

Jovem morre após sofrer parada cardíaca; Samu teria demorado

19 MAR 14 - 11h:00VÂNYA SANTOS E DANIELLA ARRUDA

A acadêmica do curso de Arquitetura e Urbanismo da Uniderp/Anhanguera, Alana Cristina dos Santos, de 18 anos, morreu na sala de aula após sofrer uma parada cardíaca. O fato ocorreu na manhã desta quarta-feira (19), na unidade matriz da instituição, que fica na Rua Ceará, em Campo Grande.

Segundo informações, duas viaturas do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foram acionadas, sendo uma unidade avançada e outra de suporte. No entanto, o socorro teria demorado cerca de 40 minutos para chegar até o local.

O corpo de Alana foi levado para o necrotério da Unidade de Pronto Atendimento do Bairro Tiradentes, onde amigos, irmãos da igreja e familiares aguardam a liberação para o velório.

De acordo com colegas do curso, as aulas começaram há um mês e Alana vinha se queixando de dores no peito.

A Secretaria Municipal de Saúde (Sesau) ainda não se pronunciou sobre o caso.

Já a universidade divulgou nota oficial lamentando o caso e garantindo que todos os procedimentos de pronto atendimento e socorro foram tomados de imediato e que aluna morreu em decorrência de mal súbito.

A Uniderp/Anhanguera comunicou ainda que está prestando apoio à família. Por fim, decretou luto de três dias, sem suspensão das aulas.

Matéria editada às 11h50min para acréscimo de informações

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Com novos saques, aplicativo do FGTS lidera ranking em loja virtual
ANDROID

Com novos saques, aplicativo do FGTS lidera ranking em loja virtual

BRASIL

Sérgio Moro visitou Bolsonaro no hospital neste domingo

EM REPOUSO

Bolsonaro lista no Twitter medidas do governo dos últimos dias

Presidente recebeu no domingo visita do ministro Sergio Moro
SAÚDE

Número de cirurgias bariátricas aumenta 84,73% em sete anos

Estimativa é 13,6 milhões de brasileiros precisem do procedimento

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião