Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, quarta, 21 de novembro de 2018

Jovem espancado após defender mendigo pede justiça no Twitter

31 JUL 2012Por terra22h:00

O estudante Vítor Suarez Cunha, 21 anos, que foi espancado em fevereiro ao defender um mendigo na praia da Bica, na Ilha do Governador (RJ), utilizou seu perfil no Twitter nesta terça-feira para pedir apoio contra a decisão da Justiça de liberar da prisão os cinco jovens acusados do espancamento. Os rapazes ganharam a liberdade na última sexta-feira (27).

"Hoje às 18h vamos em massa subir a hashtag #justicavitorsuarez", escreveu o estudante. No microblog, as expressões ou palavras mais comentadas do dia acompanhadas do símbolo # ganham notoriedade e entram na lista dos Trending Topics.

Em sua campanha pela rede social, além de ganhar apoio com internautas Vítor também abordou alguns artistas. Entre eles, o apresentador Luciano Huck e o cantor Tico Santa Cruz, obtendo retorno apenas do segundo. "Lute por sua Justiça, se você desistir eles venceram", postou o vocalista da banda Detonautas.

Entre os apoiadores menos famosos, @mrmadbr questionou: "Como posso dormir tranquilo sabendo que a justiça está do lado dos criminosos?"

Ainda durante a tarde de hoje, o estudante agradeceu aos adeptos da causa. "Agradeço a todos pelo apoio, eles têm que nos ouvir. Não vamos mais aceitar impunidade".

A agressão
Vítor Suarez Cunha foi espancado na madrugada de 2 de fevereiro de 2012, na praia da Bica, na Ilha do Governador. Segundo o delegado que investigou o caso na época, Deoclécio Filho, titular da 37ª DP, Vítor tentou defender um morador de rua de um grupo que o importunava.

Pela ação, o jovem levou chutes no rosto e teve afundamento na testa e na região dos olhos.
Após a agressão, o jovem passou por uma intervenção cirúrgica para receber oito placas de titânio, 63 parafusos e três membranas protetoras, além de enxerto ósseo.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também