Sexta, 23 de Fevereiro de 2018

VIOLÊNCIA

Jovem é morto com tiro na saída de clube

10 JAN 2011Por BRUNA LUCIANER, Silvia Tada e Anahi Zurutuza00h:00

Rafael Silva de Almeida, de 22 anos, foi morto com um tiro nas costas, às 5h de ontem, quando saía do Clube da Saudade, localizado na Avenida Coronel Antonino, em Campo Grande. A Polícia Civil já tem um suspeito do crime, mas até o fim da tarde de ontem ele não tinha sido localizado. Ainda na tarde de ontem, Hélcio Ribeiro da Silva, 23 anos, foi encontrado morto na região do Itamaracá.

De acordo com informações da Polícia Civil, o tiro acertou o lado esquerdo das costas do rapaz e atravessou o tórax, saindo pelo peito. Uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) chegou a ser acionada, mas ele não resistiu ao ferimento e morreu no local.

O pai de Rafael informou à polícia que ele trabalhava como marceneiro. Testemunhas declararam que o autor do disparos é um homem conhecido como “Nervo”, morador do Bairro Jardim Imperial, em Campo Grande. O suspeito, que não teve o nome divulgado, teria passagens pela polícia. A 2ª Delegacia de Polícia Civil assumiu as investigações.

Corpo
No início da tarde de ontem, policiais do 10º Batalhão da Polícia Militar e integrantes do Corpo de Bombeiros localizaram o corpo de Hélcio Ribeiro de Souza, parcialmente carbonizado, na região do Jardim Itamaracá, a cerca de 400 metros do anel rodoviário de Campo Grande. A vítima estava às margens de uma estrada vicinal, com o rosto virado para baixo e apresentava queimaduras nas costas. Familiares identificaram o homem no fim da tarde de ontem. Ele teria sido assassinado como “queima de arquivo”.

O corpo foi localizado após denúncia anônima e as buscas duraram cerca de 4h — inicialmente, somente a PM realizou a procura, mas depois os bombeiros foram chamados para auxiliar na varredura da região.

O homem trabalhava com gesso e morava no Bairro Jockey Club, na região sul da Capital. Familiares da vítima tinham registrado boletim de ocorrência informando o desaparecimento de Hélcio. Estimativa inicial era de que a vítima estivesse morta há cerca de dois dias.

A perícia da Polícia Civil foi acionada e deve realizar o laudo sobre as causas da morte.

Leia Também