Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

VILA MORENINHA III

Jovem é baleado por homem e dispara contra ele na Capital

Jovem é baleado por homem e dispara contra ele na Capital
03/02/2014 07:48 - TARYNE ZOTTINO


Henrique Campos Pinto, de 25 anos, foi vítima de tentativa de homicídio na noite de ontem (2), por volta das 20h30min, na Vila Moreninha III, em Campo Grande. De acordo com o boletim de ocorrência, o rapaz disse que foi até a conveniência do Manezinho para comprar algumas cervejas, junto com o sogro, quando se deparou com Weliton Freitas de Souza, 32, conhecido como Freguês.

Segundo a vítima, ele e o sogro cumprimentaram todos os presentes e, quando o proprietário do estabelecimento colocava as cervejas em uma sacola plástica, o autor deu um tapa no rosto de Henrique e disse: "hoje você vai morrer". Em seguida, conforme o registro policial, o jovem saiu da conveniência e foi até sua casa buscar uma arma de fogo "para se proteger".

Quando estava retornando, o combustível da moto entrou na reserva e ele mudou de trajeto. Neste momento, afirma que Weliton o avistou e atirou, atingindo o pneu dianteiro da motocicleta e seu pé esquerdo. Henrique disse que continuou conduzindo o veículo até a residência do sogro, onde chegou gritando que havia sido baleado e o autor vinha logo atrás. Weliton teria passado outras duas vezes na frente do imóvel e, na terceira, pegou o revólver. A vítima disse que atirou contra ele para se defender e o homem fugiu. Henrique escondeu a revólver atrás de uma árvore, mas a Polícia Militar encontrou a arma. Ele não sabe dizer se Weliton foi atingido.

Felpuda


Vêm aumentando que só os disparos de segmentos diversos contra cabecinha coroada que, até então, acreditava voar em céu de brigadeiro. O novo coronavírus chegou, ganhou espaço, continua avançando e atualmente tem sido o melhor cabo eleitoral dos adversários. A continuar assim, sem ações mais eficazes, o estrago político poderá ser grande. Observadores mais atentos têm dito que o momento não é de viver o conto da “Bela Adormecida”. Só!