Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

RIO

Jovem atirada do terraço tem morte cerebral; família doa órgãos

4 JAN 14 - 14h:45FOLHA PRESS

A estudante de direito que foi atirada de um terraço na madrugada da última quarta-feira teve morte cerebral no final da noite de ontem. Com isso, a família de Nívia Araujo, 24, decidiu hoje doar os órgãos da jovem.

Segundo Angelita Machado, prima de Nívia, a jovem já manifestara o desejo de ser doadora de órgãos.

Nívia estava internada com traumatismo craniano gravíssimo no Hospital Estadual Alberto Torres, em São Gonçalo, região metropolitana do Rio. Ela foi atirada do terraço, no terceiro andar de sua casa, a 10 metros de altura. A polícia procura o ex-namorado de Nívia, apontado como suspeito do crime.

De acordo com o depoimento de parentes da universitária, Leonardo Carvalho Oliveira invadiu a casa da família na madrugada do dia 1º. Os dois discutiram e Oliveira, segundo parentes, obrigou Nívia a subir as escadas que levam ao terraço da casa. De lá, ela teria sido jogada, segundo a polícia.

O delegado Jorge Luiz Veloso, responsável pelo caso, disse que há evidências de que a estudante foi arremessada. "Tudo indica que houve homicídio, que a queda foi provocada", afirmou.

Leonardo Oliveira teve sua prisão temporária decretada pela Justiça na tarde de ontem.

Imagens de uma câmera de segurança de uma casa vizinha à de Nívia mostram um homem se aproximando da residência na madrugada de 1º de janeiro. 

Nívia e Oliveira terminaram o namoro há cerca de uma semana. Após a queda, ele ligou para o Corpo de Bombeiros pedindo socorro e informou que a estudante tinha escorregado quando tentava pôr roupas em um varal.

A jovem tinha uma filha de 2 anos. Segundo parentes e amigos de Nívia, o ciúme excessivo e o descontentamento de Oliveira com o fim da relação provocaram a tragédia.

O suspeito já tinha passagem pela polícia por agressão. Sob condição de anonimato, uma amiga de Nívia disse que Leonardo era agressivo em seus relacionamentos. Segundo ela, o jovem teria tentando agredir sua prima quando os dois namoravam.

Angelita Machado informou que o enterro acontecerá amanhã no cemitério Parque da Paz, no bairro de Santa Isabel, em São Gonçalo, em horário ainda ser definido.
 

Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

CORREIO DO ESTADO

Confira o editorial desta terça-feira: "O outro lado da fronteira"

ARTIGO

Thiago Gomes da Silva: "A quem a cota zero não interessa"

Jornalista e advogado
OPINIÃO

Joel Mesquisa: "O Brasil de hoje"

Sociólogo

Felpuda

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião