Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, terça, 18 de dezembro de 2018

Jovem apresenta-se à polícia e confessa autoria de homicídio

11 SET 2010Por 09h:18
anahi zurutuza

O jovem Denner Tavares Donato, 18 anos, que morava nos fundos da casa do fretista José Antônio Luis de Amorim, 54 anos, apresentou-se à polícia e confessou ter matado o homem com quem dividia o imóvel. Amorim, que era conhecido como “Antônio do Frete”, foi encontrado morto em um dos quartos da casa onde morava, na Vila Sobrinho, em Campo Grande. Ele recebeu uma facada no pescoço que quase decepou sua cabeça. O crime aconteceu na manhã do dia 31 de agosto deste ano, mas o corpo da vítima só foi encontrado à noite, depois que vizinha acionou a Polícia Militar (PM), por estranhar o fato de Amorim não ter saído de casa naquele dia.
Na segunda-feira, Denner compareceu à 7ª Delegacia de Polícia (DP) e, na presença de um advogado, confessou ser o autor do crime. Só ontem, a Polícia Civil divulgou o fato. Denner alega que era assediado por Amorim, mas garantiu que nunca havia mantido relações sexuais com a vítima.
No dia do crime, conforme os relatos de Denner à polícia, o rapaz, que estava há alguns dias fora de casa, teria ido até o local para buscar roupas e outros pertences, informando Amorim que ele havia encontrado outro local para morar. Descontrolado, “Antônio do Frete” teria trancado o único portão de acesso à residência. Foi então, que Denner pegou uma faca de cozinha e, depois de discutir com a vítima, golpeou Amorim na altura do pescoço.

Outra versão
De acordo com a polícia, conforme relataram pessoas ligadas à vítima, Denner e Amorim estavam tendo relacionamento amoroso e mantinham relações sexuais. Testemunhas também acusaram o rapaz de extorquir dinheiro de “Antônio do Frete”, que nos últimos meses estaria passando por dificuldades financeiras.
Denner não foi preso, pois se apresentou depois de 48 horas do registro do crime, o que não caracteriza flagrante. O inquérito foi concluído e será encaminhado ao Poder Judiciário. O rapaz foi indiciado por homicídio doloso (quando há intenção de matar), possivelmente qualificado por motivo torpe (fútil), mas aguardará julgamento em liberdade.

Outro caso
Continua preso em cela da 4ª Delegacia de Polícia (DP), Luiz Eduardo Lopes, o Luizinho, autor confesso de homicídio que aconteceu no dia 29 de agosto, na Coophavila II. Supostamente para vingar a morte de um irmão, Luizinho matou a facadas Francisco Alves Pereira, 42 anos. Há 15 anos a vítima teria matado o irmão de Lopes.
O assassino de Pereira se apresentou à polícia, no dia 4 de setembro, e confessou ter cometido o crime. Como havia passado o período do flagrante ele seria liberado, se não fosse um mandado de prisão em aberto que havia contra ele, pelo não pagamento da pensão alimentícia. Luizinho poderá aguardar julgamento pelo homicídio em liberdade, somente se pagar a dívida.
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também