Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

LIBERDADE DE IMPRENSA

Jornal representará contra a juíza na Corregedoria do TRE e CNJ

Jornal representará contra a juíza na Corregedoria do TRE e CNJ
31/08/2012 09:00 - MONTEZUMA CRUZ


O diretor do Correio do Estado, ex-senador Antonio João Hugo Rodrigues, informou que o jornal ingressará com representação na Corregedoria do Tribunal Regional Eleitoral (TRE/MS) e no Conselho Nacional de Justiça (CNJ) contra a juíza Elisabeth Rosa Baish, da 36ª Zona Eleitoral.

Antonio João ainda espera que a Polícia Federal promova sindicância para apurar essa operação. “Precisamos a confirmação com detalhes, porque, se os policiais estão em greve, quem veio ao jornal? São agentes de fato, ou agem disfarçadamente, apresentando-se como tal? E quando a polícia ocupa um prédio, um domicílio e, no caso, o jornal, deve trazer mandado judicial”, afirmou Antonio João.

O pedido da suspensão da divulgação da pesquisa teve por objetivo a retificação do item 12 para que constem 49 opções de escolha, incluindo todos os candidatos – o item coloca o deputado federal Edson Giroto (PMDB), candidato a prefeito de Campo Grande, enfrentando cada um dos sete candidatos, simulando o segundo turno.

O advogado do jornal, Laércio Arruda Guilhem, ingressou no TRE/MS com agravo de instrumento para obter o juízo de retratação e a revogação da liminar concedida, permitindo dessa maneira a divulgação da pesquisa.

No recurso, ele diz que a juíza equivocou-se. “Em vez de determinar a suspensão apenas da parte impugnada, ou seja, do item que trata da questão acerca do confronto entre os sete candidatos ao pleito eleitoral, o que é objeto dos itens 13 a 18, errôneamente indicado como item 12 pela Coligação Novo Tempo, equivocadamente, determinou a suspensão do resultado da pesquisa”.

Leia mais no jornal Correio do Estado

Felpuda


Dois pedidos de desculpas, de autorias diferentes, foram assuntos muito comentados nas redes sociais com críticas ácidas às suas declarações, até porque os envolvidos não só os usaram despropositadamente, como tiveram de voltar a eles para se redimirem. Um deles, inclusive, quase criou uma crise política da-que-las, o que obrigou seu pai, figurinha carimbada, a pular miúdo para colocar panos quentes sobre a questão. Essa gente!...