Jornal: Real recusa R$ 513 mi do City e pede R$ 2,57 bi por Cristiano Ronaldo

Jornal: Real recusa R$ 513 mi do City e pede R$ 2,57 bi por Cristiano Ronaldo
06/09/2012 13:00 - band


O diário 'AS' divulga nesta quinta-feira que o Real Madrid chegou a recusar uma proposta de 200 milhões de euros (cerca de R$ 513 milhões) do Manchester City por Cristiano Ronaldo.

Dono do clube inglês, o sheik Mansour bin Zayed planejava também oferecer um salário astronômico ao português de 20 milhões de euros (R$ 51 milhões) por temporada. Entretanto, o presidente do clube merengue, Florentino Pérez, rejeitou a oferta na hora, alegando que o City deveria pagar a multa rescisória do português - estipulada em nada mais, nada menos do que 1 bilhão de euros (R$ 2,57 bilhões).

Esta não foi a primeira vez que o xeque Mansour tentou contratar Cristiano Ronaldo. No ano passado, ele chegou a oferecer 180 milhões de euros, e também e encontrou a resistência do Real Madrid.

Curiosamente, o xeque Mansour e o presidente do Real, Florentino Pérez, tem um encontro marcado no próximo dia 18 de setembro, quando as duas equipes se enfrentarão pela primeira rodada da Liga dos Campeões. A imprensa espanhola aponta que esta seria mais uma oportunidade para o qatari fazer uma nova investida.

Outro sonho do dono do Manchester City que está no Real Madrid é o técnico José Mourinho. Porém parece difícil imaginar que Mou aceite a troca do Real pelo City.

 

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".