EX-PILOTO

Jornal: médicos dizem que só milagre pode salvar Schumacher

Jornal: médicos dizem que só milagre pode salvar Schumacher
08/03/2014 09:30 - TERRA


Os médicos responsáveis pelo tratamento de Michael Schumacher estariam pessimistas com a recuperação do ex-piloto alemão, de acordo com o jornal inglês The Telegraph. O diário publicou neste sábado que os especialistas acreditam que “apenas um milagre” pode salvar o heptacampeão mundial de Fórmula 1, internado há mais de dois meses em coma em decorrência de um traumatismo craniano importante. O diário reproduz um depoimento dado por um jornalista alemão que trabalha na cobertura do caso. Segundo o repórter, que não foi identificado, a família Schumacher já teria sido informada de que “apenas um milagre” pode trazer o ex-piloto de volta. Outro profissional de imprensa revelou que os especialistas “foram diretos: milagres às vezes acontecem, mas há pouca esperança de que algo ocorra neste caso”.

Schumacher está em coma desde os últimos dias de 2013, quando sofreu um acidente enquanto esquiava nos Alpes franceses: após uma queda, ele bateu violentamente a cabeça contra uma rocha – de tão forte o impacto, o capacete se quebrou. O alemão foi induzido ao coma para reduzir a atividade cerebral e permitir que a massa craniana desinchasse. Desde então, o ex-piloto já foi submetido a duas intervenções cirúrgicas.

Após um mês de internação, os médicos deram início ao processo de despertar, reduzindo a ministração dos medicamentos que induzem ao coma. A porta-voz do alemão informou nesta sexta-feira que desde então “a situação não foi alterada” e alertou que “qualquer informação não confirmada pelo time de médicos ou pela equipe de Schumacher deve ser considerada inválida”.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".