Campo Grande - MS, terça, 21 de agosto de 2018

Crise

Jornais portugueses dão como certa ajuda financeira do Brasil

30 MAR 2011Por Folha17h:45

Os jornais portugueses dão como certa o socorro financeiro do governo brasileiro a Portugal, que passa por uma crise econômica e tem que amortizar, até dia 11 de abril, 4,5 bilhões de euros de sua dívida pública que, segundo o jornal "Público", o governo não dispõe em caixa.

A publicação afirma na manchete principal de sua edição desta quarta-feira afirma que o "Brasil [está] disponível para comprar dívida portuguesa". Dá ainda como certa "a intervenção do governo de Brasília na resolução dos problemas financeiros portugueses".

No "Diário de Notícias", o destaque é para a "garantia" dada por Dilma para ajudar Portugal no que for possível.

A visita de Lula e sua sucessora era uma vista pelo governo português como uma oportunidade de atrair investimentos, ainda que indiretos, do Brasil. Na noite de segunda-feira, Dilma tinha um jantar programado com o premiê Sócrates para discutir negócios entre os dois países, como a possível contratação de engenheiros e arquitetos de Portugal, como a Folha já havia noticiado.

O encontro foi cancelado, o que adiou a expectativa do governo português de fechar parcerias apenas para a cúpula Brasil-Portugal, que acontece no fim do ano, depois do prazo que o governo português tem para saldar sua dívida.

ENTRAVE

Apesar de se mostrar disponível para socorrer Portugal, a presidente Dilma Rousseff colocou um interposto na ajuda: ela quer obedecer à regra do Banco Central de só comprar títulos. Na terça-feira, a agência de risco Standard and Poor´s rebaixou a nota de Portugal para BBB-, um ponto acima do "lixo", segundo classificaram os jornais e televisões portugueses.

De qualquer maneira, o prêmie José Sócrates voltou a afirma, na manhã desta quarta-fera, que "o governo não tem nenhuma intenção de pedir ajuda exterior". A presidente brasileira afirmou que, até agora, não foi procurada oficialmente pelo governo de Portugal sobre o eventual socorro à economia do país.

Nesta quarta-feira, tanto a presidente brasileira Dilma Rousseff e o português Cavaco Silva, que foram assistir à cerimônia de concessão do título de doutor honoris causa da Universidade de Coimbra ao ex-presidente Lula, não quiseram comentar o assunto na chegada ao evento.

Além de Lula, os ex-presidentes brasileiros Juscelino Kubitschek, Tancredo Neves, José Sarney e Fernando Henrique Cardoso já foram homenageados pela mesma universidade.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também