Campo Grande - MS, segunda, 20 de agosto de 2018

UFC

Jon Jones nocauteia Maurício Shogun

20 MAR 2011Por terra10h:33

O cinturão dos meio-pesados do Ultimate Fighting Championship (UFC) tem novo dono. O americano Jon "Bones" Jones fez jus à fama que recebeu nos últimos meses no mundo do UFC e venceu o brasileiro Maurício "Shogun" Rua com facilidade na madrugada de sábado para domingo, acertando golpes com maestria e encerrando a luta com um nocaute no terceiro round.

Fora de ritmo, Shogun foi presa fácil para o americano. Apoiado pela torcida de Newark, Nova Jersey, o novo campeão usou bem o muay thai para passar pela guarda do brasileiro.

"Ele está de parabéns. Foi melhor do que eu", admitiu Shogun ainda no octógono. "Ele é um lutador duro. Mostrou um bom chão e um bom muay thai", afirmou.

Jones começou a luta agressivo, arriscando uma joelhada que foi bem defendida por Shogun. A trocação durou poucos segundos, até que o americano derrubou o curitibano. Impulsionado pela torcida, o desafiante foi capaz de manter o brasileiro no chão por um bom tempo, mas sem encaixar o ground and pound.

Quando conseguiu se levantar, Shogun passou a ser alvo de duros golpes de Jones e não acertou uma tentativa de prender a perna do adversário. Restou ao então dono do cinturão prender o rival no chão até que o round terminasse.

No segundo assalto, a situação do brasileiro não foi muito melhor. Usando seus longos braços, Jones acertou duros golpes em Shogun. Desorientado, o brasileiro não foi capaz de desferir um bom golpe no americano, mas conseguiu levar a luta ao terceiro round.

No início do assalto, Shogun tentou agarrar a perna do adversário e ficou perto do leg lock. Mas Jones assumiu a luta no chão e, após o brasileiro escapar de golpes enquanto se levantava, acertou uma joelhada certeira para determinar o novo dono do cinturão.

Esta era a primeira defesa de cinturão de Shogun. O curitibano conquistou o título ao derrotar o compatriota Lyoto Machida por nocaute em 8 de maio de 2010, em revanche de polêmica luta realizada meses antes. Desde então, o brasileiro ficou afastado do octógono, recuperando-se de cirurgia realizada no último ano.

Se Shogun passou quase um ano no estaleiro, Jones arrebatou o UFC neste meio tempo. Revelado pelo reality show The Ultimate Fighter, o americano passou por Brandon Vera, Vladimir Matyushenko e o até então invicto Ryan Bader para ter sua chance de enfrentar o brasileiro.

O desafiante de Shogun, porém, não seria Jones. O americano só recebeu sua chance porque seu compatriota Rashad Evans, então postulante a recuperar o cinturão dos meio-pesados, se lesionou e deixou o caminho aberto.

Card principal

O UFC 128 começou com o confronto entre o veterano croata Mirko Cro Cop e o americano Brendan Schaub, pelos pesados. Mais jovem, o lutador da casa foi melhor durante a maior parte do embate, conseguindo derrubar o europeu com facilidade. No terceiro set, quando o duelo parecia se encaminhar para a decisão dos jurados, Schaub acertou um belo soco na lateral da cabeça de Cro Cop, nocauteando-o.

Na sequência, os americanos Dan Miller e Nate Marquardt se enfrentaram pelos médios, em luta que foi disputada principalmente no chão. Marquardt conseguiu desferir os melhores golpes e ficou perto da finalização em alguns momentos, mas obteve sua vitória em decisão unânime dos jurados (30/27, 30/27 e 30/27).

O próximo duelo confrontou os leves Jim Miller e Kamal Shalorus, que fizeram um primeiro assalto equilibrado. No round seguinte, o americano derrubou o iraniano e ficou perto de conseguir encaixar um estrangulamento. O round final ficou um massacre que Miller, que acertou uma bela sequência de golpes no oponente a partir de um upper seguido de uma joelhada no rosto. Não houve outra opção ao árbitro a não ser interromper a luta.

A quarta disputa foi mais um duelo entre americanos, dois ex-lutadores do extinto WEC (World Extreme Cagefighting). Em sua segunda luta no peso galo, Urijah Faber iniciou o confronto com Eddie Wineland, estreante no UFC, buscando levá-lo ao chão, objetivo só cumprido no segundo round. Sendo superior especialmente nos dois assaltos finais, Faber conquistou a vitória em decisão unânime (29/28, 29/28 e 29/28).

Lutas preliminares

As lutas preliminares contaram com boa presença brasileira. O meio-pesado Luiz "Banha" Cané atropelou o americano Eliot Marshall ainda no primeiro assalto, derrubando-o e desferindo uma sequência de socos pesados até que o juiz interrompesse o confronto. Já o carioca Edson Barboza, dos leves, dominou o confronto com o nigeriano Anthony Njokuani e venceu em decisão unânime, em luta que contou com um lindo chute no rosto do africano.

O potiguar Gleison Tibau também venceu por pontos, mas em decisão dividida entre os jurados. Pelos leves, o brasileiro derrotou Kurt Pellegrino por 29/28, 28/29 e 29/28. Para o veterano Ricardo "Cachorrão" Almeida, a situação foi a contrária. O meio-médio foi derrotado por decisão unanime pelo americano Mike Pyle. Outro brasileiro derrotado foi Raphael Assunção, facilmente nocauteado por Erik Koch.

Leia Também