SÃO PAULO

Jogadores dizem que torcida está magoada

Jogadores dizem que torcida está magoada
22/01/2014 15:45 - Terra


O São Paulo, que hoje enfrenta o Mogi Mirim às 22h, recebeu vaias dos torcedores no primeiro jogo da temporada, após a derrota por 2 a 0 para o Bragantino na estreia do Paulista, e para, pelo menos, dois jogadores a torcida não estava errada.

O lateral direito Luis Ricardo, contratado para essa temporada, disse que a equipe está devendo desde a última temporada, quando passou mais da metade do Brasileiro na luta contra o rebaixamento.

"Nosso torcedor está magoado. Ele vem com esse pensamento de ver um São Paulo melhor, um São Paulo brigando por alguma coisa. Está magoado, imaginando que as coisas vão mudar e chega o primeiro jogo do ano e as coisas não acontecem. Tem razão em vaiar", disse o jogador após o treino de ontem, em Cotia.

"Perdemos o primeiro jogo, mas o torcedor tem de entender também que estamos treinado e o trabalho vai acontecer, dar resultado em breve", completou.

Para Luis Ricardo, os resultados podem demorar para aparecer por causa do tempo curto de pré-temporada. O time começou a treinar em 6 de janeiro e estreou no Paulista no último domingo, após 14 dias de preparação. Ainda assim ele não imagina que os críticos vão levar isso em conta.

"Um time da grandeza do São Paulo sempre vai existir cobrança. Vim de um clube menor e isso já existia. [O São Paulo] é um clube com carência de títulos e que a cada jogo a gente será cobrado. Os jogadores que aqui estão têm de assumir a responsabilidade. É difícil jogar sendo cobrado, mas temos pessoas capacidades para superar. Vamos melhorar e nosso torcedor vai nos apoiar."

O atacante Ademílson concordou com Luis Ricardo e disse que os demais jogadores estão conscientes de que somente com uma sequência de vitórias a torcida ficará ao lado dos jogadores. Para ele, o time tem essa oportunidade com os jogos que irá fazer no Morumbi: Mogi Mirim, hoje, Oeste, no domingo, e Rio Claro, no dia 29.

"A gente sempre espera que o torcedor vá ao estádio para apoiar. Não adianta pedir para eles torcerem e não darmos resultado. Se a gente vencer, eles não vão ao estádio para pedir [a contratação de jogador], mas para apoiar a gente", avaliou Ademílson. 

"Não adianta reclamar. Quando o São Paulo começar a jogar, conquistar os três pontos e fazer valer a pena a ida deles ao estádio, eles vão nos apoiar", acrescentou.

Em 2013, o São Paulo teve problemas parecidos. Os torcedores demonstraram muita impaciência com times, especialmente com o meia Ganso e o atacante Luis Fabiano. Mas houve um trégua assim que Muricy Ramalho foi contratado, em setembro.

O treinador conseguiu tirar o time da zona de rebaixamento do Brasileiro e colocar a equipe na nona colocação. 

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".