Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, quinta, 13 de dezembro de 2018

futebol

Joel Santana pede demissão do Botafogo

22 MAR 2011Por globo esporte10h:21

Depois de quase 14 meses, Joel Santana não é mais o técnico do Botafogo. Em reunião com a diretoria na manhã desta terça-feira, em General Severiano, o treinador anunciou o desejo de deixar o clube. Apesar da boa relação com a diretoria, falou mais alto a mágoa pelas vaias e xingamentos sofridos na derrota por 2 a 0 para o Vasco, no domingo, no Engenhão. Os auxiliares Mauricio Albuquerque e Valinhos e o preparador físico Dudu Fontes, todos da comissão técnica de Joel, são os responsáveis pelo treino desta manhã.

Com a saída de Joel Santana, o Botafogo começa de forma imediata a busca por seu substituto. E por não ter a intenção de deixar o cargo vago por muito tempo, o clube tem como primeira opção Adilson Batista, desempregado desde que foi demitido do Santos, no dia 27 de fevereiro.

A diretoria entende que é um nome capaz de motivar o grupo e montar uma equipe que jogue um futebol mais ofensivo, algo cobrado interna e externamente no Botafogo. Os dirigentes alvinegros inicialmente tinham uma restrição pelo fato de Adilson ter afastado Maicosuel no Cruzeiro, em 2008. No entanto, também consideram que o atual status do camisa 7 impediria qualquer nova restrição neste momento.

O clube também chegou a considerar a possibilidade de contactar Gilson Kleina. A ideia ocorreu quando Joel Santana começou a considerar a possibilidade de sair do Botafogo e antes mesmo de o treinador da Ponte Preta receber uma proposta do Fluminense. Entretanto, o Alvinegro acredita que, neste momento, o melhor é optar por um profissional mais experiente.

O Botafogo por enquanto não tem um interino para comandar a equipe na partida contra o Boavista, neste sábado, em Macaé. O único auxiliar técnico do clube, Jair Ventura, está na Seleção Brasileira sub-17, que disputa o Sul-Americano da categoria, no Equador. Os também auxiliares Valinhos e Maurício Albuquerque fazem parte da comissão técnica de Joel e deixarão General Severiano com ele.

A terceira passagem de Joel pelo Glorioso

Uma coincidência marcou a terceira passagem de Joel pelo Botafogo: o trabalho foi iniciado após uma goleada por 6 a 0 para o Vasco e terminado após a derrota por 2 a 0 para o mesmo adversário, no domingo. Nesse período, foram 76 partidas, com 41 vitórias, 23 empates e 12 derrotas.

Durante os quase 14 meses de trabalho, Joel Santana foi do status de salvador para o de vilão em sua relação com a torcida. O treinador assumiu o comando ao substituir Estevam Soares, num período de crise, e levou o time a uma virada que culminou na conquista do Campeonato Carioca.

Depois de uma campanha no Campeonato Brasileiro considerada boa, principalmente em meio às muitas lesões que prejudicaram o time na reta final, a relação de Joel Santana com o grupo começou a se desgastar. O treinador protagonizou dois embates com Loco Abreu, que se mostrou insatisfeito em ser substituído na partida contra o Grêmio Prudente, no Brasileirão, e reclamou do estilo de jogo do time ainda no início do estadual de 2011.

A insatisfação com o estilo de jogo da equipe também se estendeu à torcida, que passou a vaiar Joel sistematicamente nas partidas no Engenhão. O ápice foi a derrota para o Vasco, no último domingo, quando um setor da arquibancada pediu a expulsão do treinador, que reclamava com a arbitragem. No dia seguinte, ele não escondeu sua mágoa com o tratamento dos botafoguenses.

Confira a íntegra da nota oficial publicada no site do Botafogo:

“O departamento de futebol do Botafogo FR comunica que Joel Santana não é mais técnico do clube. O treinador tomou a decisão em conjunto com a diretoria após conversa na manhã desta terça-feira, no CT João Saldanha. Em sua terceira passagem pelo Botafogo, Joel disputou 76 jogos, acumulou 41 vitórias, 23 empates e apenas 12 derrotas, com 142 gols pró e 58 contra”.
 

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também