domingo, 22 de julho de 2018

VOOS

Jobim afirma que aeroportos terão melhorias antes da Copa

15 OUT 2010Por ESTADAO.COM20h:08

O ministro da Defesa, Nelson Jobim, disse que o estudo que a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) está preparando sobre o crescimento da demanda em aeroportos até 2014 resultará em medidas para melhorar a infraestrutura aeroportuária ainda antes da realização da Copa do Mundo no Brasil. 

Segundo ele, o crescimento de 27% do transporte aéreo este ano surpreendeu o governo, que esperava algo em torno de 18%. Mesmo assim, de acordo com ele, o planejamento do governo para melhorar os gargalos do setor é suficiente. "As obras de infraestrutura necessárias para absorver todo esse crescimento estão todas planejadas e sendo realizadas", disse o ministro.

Segundo Jobim, a Anac calcula que os aeroportos deverão receber entre 4 e 5 milhões de passageiros durante a Copa e os técnicos da agência vão detalhar as previsões de crescimento do setor aéreo, separando a demanda doméstica da turística. De acordo com o ministro, entre as medidas em estudo para a Copa está o uso de bases aéreas militares para o pouso de aviões transportando autoridades e delegações. Seria uma forma, segundo o ministro, de gerar uma margem ociosa de 10% na infraestrutura aeroportuária durante o evento, como forma de dar segurança ao sistema.

"Também queremos ocupar os horários vazios, fora dos horários de pico, para os voos charter, muito comuns nesses eventos. São ideias que já foram usadas na Copa da África do Sul. Teremos vários testes pela frente, como os jogos militares do ano que vem e a Copa das Confederações em 2013. Enquanto isso, as obras de infraestrutura estão sendo realizadas", disse o ministro.

Jobim afirmou que o Aeroporto Internacional Antonio Carlos Jobim (Galeão), no Rio, está pronto para o crescimento de demanda e observou que o Aeroporto Internacional de São Paulo, em Guarulhos, terá sensível melhora com o término das obras do pátio. Os planos de ampliação de capacidade, como a proposta de um novo aeroporto para São Paulo, deverão ser definidos no próximo governo, segundo o ministro. Ele concedeu entrevista hoje no Rio antes de realização de palestra na Escola Naval.

Leia Também