Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, sábado, 17 de novembro de 2018

Mensalão

João Paulo é condenado por lavagem

30 AGO 2012Por G114h:43

Com o voto do ministro Carlos Ayres Britto, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), o deputado federal João Paulo Cunha foi condenado nesta quarta-feira (29) também por lavagem de dinheiro por maioria de votos - seis a quatro.

A ministra Rosa Weber não manifestou o voto porque decidiu analisar as acusações sobre lavagem de dinheiro posteriormente.

“Ficam comprovadas a autoria e materialidade da lavagem de dinheiro por parte dos réus João Paulo Cunha e Henrique Pizzolato”, afirmou o presidente do Supremo.

Ayres Britto afirmou que condenar réu à pena privativa de liberdade deixa “gosto amargo” na boca. “Nós, magistrados, condenamos alguém, sobretudo, no direito penal, à pena privativa de liberdade. E isso deixa gosto amargo na boca. Gosto de jiló, mandioca roxa, beringela crua.”

Em relação à lavagem, votaram pela condenação, além de Britto, os ministros Gilmar Mendes e Celso de Mello nesta quarta e, antes, Joaquim Barbosa, Luiz Fux e Cármen Lúcia. Outros quatro decidiram pela absolvição nessa acusação - Ricardo Lewandowski, Dias Toffoli, Cezar Peluso e Marco Aurélio Mello.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também