Jerson: “PMDB perdeu a paciência com o DEM”

Jerson: “PMDB perdeu a paciência com o DEM”
14/04/2010 23:40 -


Lidiane kober

Lideranças do PMDB reagiram às queixas dos democratas por conta da negociação para oficializar a candidatura do vice-governador Murilo Zauith (DEM) ao Senado. O deputado estadual Zé Teixeira (DEM) informou que o partido está cansado de discutir o assunto. Em resposta, o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Jerson Domingos (PMDB), disse ontem que “o PMDB é quem perdeu a paciência com o DEM”.    
  
A afirmação, feita no programa Tribuna Livre, da FM Capital, leva em conta o empenho do PMDB em atender o pedido da região da Grande Dourados, abrindo espaço na chapa do governador André Puccinelli (PMDB) ao atual vice. “Agora, não cabe ao PMDB abdicar do projeto de seus correligionários para procurar um suplente para o Murilo”, ressaltou.     
  
Da mesma forma, pensam os deputados estaduais Júnior Mochi (PMDB) e Youssif Domingos (PMDB). “Há um ano, Dourados fez uma campanha para indicar um candidato ao Senado, o PMDB aceitou. Agora, fica a impressão de que o PMDB não quer indicar o suplente do Murilo, o que não é verdade”, frisou Youssif.

Em contrapartida, lideranças do DEM acusam o PMDB de firmar acordos e descumpri-los na sequência. Segundo Zé Teixeira, isso se aplica na indicação de nomes para ocupar a vaga de primeiro-suplente de Murilo. “O problema é que para nós é dito uma coisa e, depois, tudo é desdito pela imprensa”, explicou.
smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".