Campo Grande - MS, sexta, 17 de agosto de 2018

internacional

Japão organiza retirada de moradores dos arredores de usina

25 MAR 2011Por folha online08h:41

O governo do Japão está oferecendo transporte e assistência aos moradores da região entre 20 km e 30 km da usina nuclear de Fukushima Daiichi, danificada pelo terremoto e tsunami do último dia 11.

O porta-voz do Gabinete japonês, Yukio Edano, afirmou que a retirada é voluntária e leva em consideração as "dificuldades" enfrentadas por estes moradores e não um risco à sua saúde pelo vazamento de radiação.

Segundo Yukio, os moradores enfrentam dificuldades em conseguir suprimentos no comércio local. Muitas empresas não estão repondo seus produtos no comércio local, por medo de enviar seus funcionários para a região.

Ele ressaltou que esta não é uma retirada obrigatória, mas não descartou que a medida seja imposta caso os níveis de radiação subam a níveis perigosos.

O governo já havia retirado mais de cem mil pessoas da área de até 20 km da usina, cujos técnicos continuam enfrentando dificuldade em conter o vazamento de vapor radiativo com a falta de energia elétrica e os danos causados aos prédios dos reatores.

As autoridades pediram ainda que os moradores desta faixa entre 20 km e 30 km ficassem em casa me tomassem precauções adicionais contra a radiação.

"A distribuição de bens está estagnada e é difícil manter sua vida diária por um longo período de tempo", disse Yukio, acrescentando que o governo dará assistência logística para transporte e outras facilidades para quem quiser se mudar.

O governo pediu ainda que as cidades trabalhem coordenadamente para tornar a retirada imediata possível, caso seja decidido um esvaziamento emergencial da região.

A Comissão de Segurança Nuclear do Japão, um painel do governo, também recomendou a retirada voluntária dos moradores, já que o vazamento de material radioativo deve continuar por algum tempo.

EFEITOS

Apesar do governo afirmar que não há risco de radiação nesta faixa, os efeitos dos vazamentos da usina de Fukushima Daiichi estão sendo sentidos a milhares de quilômetros.

Traços de iodo radioativo foram detectados na Suécia, França e Estados Unidos, embora sejam muito abaixo do que é considerado prejudicial para seres humanos.

Dois turistas japoneses, um de Nagano e um de Saitama, ambos a 200 km de Fukushima, foram levados ao hospital na China, após as autoridades detectarem níveis anormais de radiação.

Um porta-voz da Embaixada do Japão na China disse que ambos estão bem, já deixaram o hospital e se reuniram com os demais turistas.

A agência de notícias chinesa Xinhua disse ainda que níveis anormais de radiação também foram detectados em um barco japonês.

Leia Também