Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, terça, 11 de dezembro de 2018

g8

Japão e Líbia devem dominar reunião

14 MAR 2011Por ESTADÃO00h:01

O terremoto no Japão deve dominar o encontro dos ministros de Relações Exteriores do Grupo dos Oito esta semana em Paris, com a discussão sobre meios de coordenar ajuda para o único país asiático do grupo.

A crise da Líbia também será um assunto chave, com a comunidade internacional buscando um consenso sobre como parar a violência no estado africano pelas forças governamentais do líder Muammar Gaddafi.

O Japão tentava evitar, neste domingo, o vazamento em dois reatores nucleares, atingidos pelo terremoto de sexta-feira que causou um tsunami, o qual estima-se que tenha matado mais de 10 mil pessoas.

O Ministro das Relações Exteriores da França Alain Juppé prometeu ajuda aos japoneses, oferecendo especialistas em segurança de usinas nucleares, além de ajuda com a limpeza dos destroços e na busca de vítimas.

Há expectativa de que Juppé e outros ministros do G8 cuidem da coordenação dos resgates e dos esforços de ajuda.

"O Japão é um membro histórico do G8, então nós vamos definitivamente mostrar solidariedade", disse uma fonte diplomática da França.

O Ministro de Relações Exteriores do Japão ainda está confirmado para participar da reunião, disse no domingo um embaixador japonês.

Jeremy Browne, ministro britânico, disse esta semana que uma "grande e coordenada resposta internacional" era necessária e que a Inglaterra estava fazendo a sua parte.

A situação na Líbia também deve ser foco para os ministros do G8, disse a fonte diplomática.

As forças do líder líbio Gaddafi parecem ter reconquistado a força no conflito que já dura três semanas, inspirado pelas revoltas populares na Tunísia e no Egito.

O evento de dois dias começará de maneira informal com o encontro dos oito ministros com o presidente Nicolas Sarkozy, no Palácio do Eliseu, hoje, antes do início oficial às 16 horas (horário de Brasília) e término no dia seguinte por volta das 11 horas (horário de Brasília).

As conversações também tocarão no programa nuclear do Irã e em modos de reanimar o processo de paz no Oriente Médio, numa preparação para um encontro dos líderes do G8 no resort de Deauville, na costa norte, no fim de maio.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também