Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

SEGURANÇA

Jacini: 'Policial não pode subestimar inteligência dos criminosos'

Jacini: 'Policial não pode subestimar inteligência dos criminosos'
29/01/2014 12:30 - VÂNYA SANTOS


O secretário de Justiça e Segurança Pública de Mato Grosso do Sul, Wantuir Jacini, alertou que os policiais não podem subestimar a inteligência dos criminosos e que as investigações têm que ser feitas com o máximo de cautela para garantir a segurança da equipe.

Quanto a deficit de policias, o secretário explicou que a falta de efetivo ideal não é um problema que ocorre somente no Estado, mas em todas as policiais do Brasil e do exterior.

Wantuir Jacini, que está de férias e só retorna ao trabalho na próxima segunda-feira (3), não quis comentar sobre a investigação do furto de uma corrente no valor de R$ 80 mil, que resultou na morte do policial Dirceu Rodrigues dos Santos, de 38 anos, e na agressão ao seu colega de trabalho Osmar Ferreira, de 39, mas falou por telefone ao Portal Correio do Estado sobre a atuação da polícia, de uma maneira geral.

“Sabemos que temos que trabalhar com o efetivo existente, mas muitas vezes, o policial acha que está no controle de uma situação, mas não está.. Ele, por natureza, é audacioso”, comentou o secretário, explicando que nenhuma polícia tem o efetivo necessário, mas que ainda assim todas elas se esforçam para atuar.

O secretário Jacini disse também que os policiais são constantemente treinados e recebem capacitação sobre o risco da atividade. “Temos que aprender a atuar com o risco do trabalho, muitas vezes o policial não avalia muito bem e isso é uma questão que deve ser pensada por todos os profissionais”, alertou.

Estrutura
Wantuir Jacini ressaltou ainda que recentemente o Governo do Estado entregou armas e viaturas e que em março ou abril deste ano serão entregues mais viaturas, armamentos e equipamentos para as polícias de Mato Grosso do Sul. Já os concursos públicos estão em andamento para suprir vagas de agentes aposentados. 

Felpuda


Partido está aos poucos montando a que vem sendo chamada de “chapa do quartel”, pois os pré-candidatos são oriundos da caserna. Há quem diga que os dirigentes da legenda ainda estão querendo pegar carona no “fenômeno Bolsonaro”, esquecendo-se que o presidente, embora vindo da área militar, está na política há 30 anos e o seu programa de governo agradou 57,7 milhões de eleitores. Dizem que tchurminha será obrigada a adicionar mais ingredientes no currículo, senão...