Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Assine a Newsletter

Mais vagas

Jacini diz que soltura de presos pode fazer crescer criminalidade

20 JAN 10 - 04h:21NADYENKA CASTRO
O secretário de Estado de Justiça e Segurança Pública, Wantuir Jacini, admitiu ontem que a criminalidade em Campo Grande pode aumentar com a liberação dos internos do Presídio de Dois Irmãos do Buriti (PDIB). Em visita às obras do Centro Penal Agroindustrial (nova Colônia Penal Agrícola), Jacini explicou que os detentos que começaram a ser soltos na segunda- feira foram para Dois Irmãos em 2008 porque, mesmo internos do semiaberto, estavam envolvidos em crimes. “Q u a n d o o s le v a mo s para Dois Irmãos, os í nd ic e s de c r i m i n a l id ade em Campo Grande baixaram”, declarou o secretário. Ainda segundo ele, por conta desse histórico há um “indicativo” de que aconteçam na Capital mais roubos e furtos, por exemplo. “Existe essa preocupação. Mas se eles praticarem algum crime, com certeza serão presos”, alerta o chefe da Segurança Pública do Estado. O diretor-presidente da Agência Est adua l de Administração Penitenciária (Agepen), tenente coronel da Polícia Militar Deusdete de Oliveira Filho, diz que os presos que estão sendo liberados são obrigados a comprovar endereço periodicamente e não podem sair da Capital sem autorização judicial. Sem revela r det a l hes, Oliveira fala que a Agepen irá fazer um monitoramento desses internos que começaram a sa i r do PDIB para o regime domiciliar. De acordo com o diretor, o Estado tem cerca de 800 presos em regime semiaberto e 400 no aberto. Água e esgoto Ontem teve início a implantação da rede de água e de esgoto para atender o Centro Penal Agroindustrial de Campo Grande, na região da Gameleira, e o Presídio Federal. De acordo com Jacini, as obras só começaram agora, um ano e quatro meses após o início da construção da unidade penal, porque dependiam de autorização do Governo federal. Ele explicou que, como a rede também irá passar pelo Presídio Federal, a implantação precisava de autorização do Departamento Penitenciário Nacional (Depen) e da Secretaria de Patrimônio da União (SPU). “Isso demorou cerca de cinco, seis meses”, justificou o secretário. Para rede de esgoto será investido cerca de R$ 1,4 milhão e para de água, R$ 650 mil. Serão 3.200 metros de tubulação. Estiveram no local de início das obras o secretário; o diretor- presidente da Agepen; o presidente da Águas Guariroba, Júlio Moreira, e o diretor do Presídio Federal, Washington Clark dos Santos. Segundo Jacini, a conclusão da rede de água e de esgoto e alguns detalhes no prédio da unidade são o que falta para a inauguração, prevista para abril deste ano. Conforme a Secretaria de Justiça e Segurança Pública, a previsão é que o prédio abrigue mil internos em regime semiaberto.
Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Brasil terá nove sedes para aclimatação na Olimpíada de Tóquio
COMITÊ OLÍMPICO

Brasil terá nove sedes para aclimatação na Olimpíada de Tóquio

Mais de 200 policiais estão em operação para impedir entrada de foragidos
FORÇA NACIONAL

Mais de 200 policiais estão em operação para impedir entrada de foragidos

Aproximadamente 75 fogem de presídio da fronteira; secretário reforça segurança
FUGA EM MASSA

Aproximadamente 75 fogem de presídio da fronteira; secretário reforça segurança

Realities de culinária continuam prestigiados na grade da Band
CANAL 1 - FLÁVIO RICCO

Realities de culinária continuam prestigiados na grade da Band

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião