Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, quinta, 13 de dezembro de 2018

GLEBA OURO VERDE

Ivinhema lidera produção de urucum no Estado de MS

4 ABR 2011Por FATIMA NEWS00h:00

De acordo com integrantes do projeto Urucum do Brasil, o município de Ivinhema é o maior produtor dessa planta em Mato Grosso do Sul. Esta informação foi divulgada no II Encontro sobre a cultura de urucum que aconteceu na última sexta-feira, na Gleba Ouro Verde.

O evento realizado em Ivinhema teve como um dos objetivos melhorar a produtividade da cultura do urucum. Atualmente, o município possui uma área de aproximadamente 63 hectares com a cultura. Técnicos da Agraer - Agência de Desenvolvimento Agrário e Extensão Rural de Mato Grosso do Sul acreditam que haverá ainda um aumento da área de plantio e a elevação da produtividade das lavouras existentes.

“Um dos pontos de partida para sucesso no setor agrícola de nossa região é a organização e a integração entre os produtores. Isso nós vemos que existe aqui em Ivinhema que é uma referência na Agricultura Familiar”, destaca o coordenador regional da Agraer, Sandro Poloni.

Para o prefeito Renato Câmara a cultura do Urucum é uma ótima alternativa para a diversificação rural. “A produção de urucum, o tradicional colorau, faz parte do projeto de diversificação rural, fortalecimento da agricultura familiar e geração de emprego e renda de Ivinhema”, disse ele.

“O urucum utiliza muita mão de obra e essa mão de obra é familiar. Com isso, a renda, os lucros com essa atividade ficam com o pequeno produtor, melhorando assim a economia como um todo e beneficia o nosso Município”, ressalta o prefeito.

O II Encontro da cultura do urucum contou com a presença de vários produtores da região e de estudantes da UEMS e do Colégio Agrícola. Esta ação é uma realização da Ampagov, Agraer, Prefeitura Municipal e Cooperativa Agropecuária do Vale do Ivinhema (Cooperavi).

Urucum

É uma planta originária da América do Sul, mais especificamente da região amazônica. Seu nome popular tem origem na palavra tupi "uru-ku", que significa "vermelho". De suas sementes extrai-se um pigmento vermelho usado pelas tribos indígenas brasileiras e peruanas como corante e como protetor da pele contra os raios solares intensos. Hoje ele é usado amplamente na indústria alimentícia como corante de diversos produtos.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também