Campo Grande - MS, quarta, 15 de agosto de 2018

ORGÂNICA

Italianos vem conhecer produção de carne de MS

21 MAI 2011Por DA REDAÇÃO09h:01

A Associação Brasileira de Produtores Orgânicos (ABPO Pantanal Orgânico), em parceria com o WWF-Brasil e Movimento Slow Food, realizam na próxima segunda (23), no restaurante Yotedy, em Campo Grande (MS), um jantar para celebrar o acordo firmado com parceiros italianos que viabilizará a exportação da carne orgânica produzida no Pantanal para aquele mercado.

O evento tem apoio do Sebrae, Embrapa Pantanal, frigorífico JBS Friboi, Federação de Agricultura e Pecuária do Mato Grosso do Sul (Famasul), Superintendência Federal de Agricultura, Sindicato Rural de Campo Grande e Real H – Nutrição e Saúde Animal.

Na ocasião, será oferecido um jantar preparado pela renomada chef de cozinha Dedê Cesco, especializada em pratos regionais. Participam o governador André Puccinelli, a secretária estadual de Desenvolvimento Agrário, da Produção, da Indústria, do Comércio e do Turismo, Tereza Cristina Corrêa da Costa, o superintendente de Conservação do WWF-Brasil, Carlos Alberto de Mattos Scaramuzza, parceiros comerciais italianos, empresários do setor produtivo e varejista, representantes do poder público, produtores rurais de Mato Grosso do Sul e representantes do terceiro setor.

“Esse evento será o coroamento de uma parceria comercial que se concretizou com o apoio do WWF e Slow Food. E isso é resultado de um conjunto de atividades voltadas para a divulgação da economia de Mato Grosso do Sul, apoiado pelo governo estadual”, explica o presidente da ABPO, Leonardo Leite de Barros.

No dia seguinte, a comitiva italiana segue para o Pantanal, onde visitará fazendas associadas à ABPO e conhecerá a criação do boi orgânico.

“A criação de gado orgânico no Pantanal é um exemplo claro de que pensando e ajustando onde e como produzir muitas atividades podem se tornar mais sustentáveis, gerando empregos e renda e ajudando na manutenção da biodiversidade e dos serviços ambientais, algo imprescindível para a longevidade da própria produção”, ressaltou Carlos Alberto de Mattos Scaramuzza, do WWF-Brasil.


Em março deste ano, a ABPO realizou uma apresentação da carne orgânica do Pantanal a um público especializado dos setores de alimentos e varejo na cidade de Mosciano Sant'Angelo, na região de Abruzzo, na Itália. O evento contou com a presença de autoridades locais, representantes do WWF-Itália, WWF-Brasil e Slow Food.


Antes, em fevereiro, representantes da ABPO e do WWF-Brasil estiveram na feira mundial de orgânicos de Nuremberg (Alemanha), onde expuseram o modelo de produção orgânica e destacaram a convivência da atividade econômica com o meio ambiente e cultura pantaneira.

ABPO Pantanal Orgânico

A Associação Brasileira de Produtores Orgânicos (ABPO Pantanal Orgânico) foi criada em 2001 por pecuaristas da região do Pantanal que identificaram a Pecuária Orgânica Certificada como uma atividade econômica promissora do ponto de vista econômico, ambiental e social. Essa alternativa produtiva agrega valor à carne do Pantanal através da melhoria da rentabilidade do negócio pecuário, associado a baixos impactos socioambientais, garantindo a manutenção do meio ambiente, da biodiversidade, a preservação e sustentação da cultura do homem pantaneiro e de sua família.

A associação envolve 18 fazendas de pecuária nas regiões da Nhecolândia e Nabileque no Pantanal sul-mato-grossense, e algumas unidades de engorda no planalto, totalizando cerca de 90 mil hectares, e com um rebanho de aproximadamente 55 mil cabeças de gado.

Atualmente, a entidade está buscando novos associados de outros segmentos, como pequenos produtores e assentados do município de Rio Negro (MS) que produzem maracujá orgânico, com o objetivo de fortalecer a cadeia produtiva e fomentar a produção de orgânicos no Estado.

Leia Também