Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

ITAPORÃ

Irmãs confessam assassinato de jovem

Irmãs confessam assassinato de jovem
01/03/2014 00:00 - DA REDAÇÃO


Débora Garcia, 22 anos, e sua irmã de 14 anos, confessaram ontem ter assassinado a indígena encontrada boiando em uma lagoa na fazenda Cristal em Itaporã, no dia 23 de dezembro de 2013.

De acordo com o site Itaporã News, a mãe da indígena morta é madrasta das acusadas. Em depoimento ao delegado, Marcelo Batistela Damaceno, Débora afirma que há três anos sofria com provocações da vítima  e da mãe dela.

A menor disse que o seu pai dava mais dinheiro e atenção à enteada do que para ela.

Débora relatou que no dia anterior ao assassinato, ela e sua irmã foram ao Hospital Caiuá onde a vítima estava internada, para fazer visita a uma tia. Ao passarem pelo quarto, avistarem a jovem indígena, que segundo elas, solicitou que não queria mais ficar internada e se seria possível elas a ajudarem sair.

As duas saíram com a vítima do hospital em direção de casa e no caminho a levaram para um canavial onde a espancaram. Ainda consciente e caminhando, a vítima foi levada pelas irmãs para uma lagoa. Lá, a jogaram no lago, “mas ela não morria”, relatou Débora.

Então, segundo ela, tiraram a jovem do lago, a amarraram pelos pés e as mãos, a amordaçaram com a própria roupa e golpearam com pedradas em várias partes do corpo, uma em sua cabeça, que resultou em traumatismo craniano, causa da morte. Logo depois, as irmãs jogaram o corpo de volta ao lago e foram embora.

A menor foi ouvida e responderá em liberdade, mas Débora foi presa preventivamente, após confessar o crime.

O delegado disse que o depoimento de uma testemunha que estava no mesmo quarto da vítima foi imprescindível para que encontrassem as autoras.

Felpuda


Ao que tudo indica, partido teria criado “racha” apenas visando jogar para a plateia, e, assim, quem estava com a corda toda anunciou que se prepara para o desembarque. Nos bastidores o que se ouve é que o tal fundo partidário seria o motivo da desavença e que quem nunca comeu mel quando come se lambuza. Só que não. A estratégia é continuar “dono” da atual legenda e “tomar a frente” de partido que está em fase embrionária. Tudo inspirado na “velha política”.