Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

TECNOLOGIA

iPad deve liderar mercado até 2015, diz consultoria

iPad deve liderar mercado até 2015, diz consultoria
12/04/2011 05:40 - Veja


O iPad da Apple continuará dominando o mercado de computadores tablet nos próximos anos, com o Google e seu sistema operacional Android se aproximando aos poucos, afirmou a empresa de pesquisa de mercado Gartner nesta segunda-feira. Atualmente, a companhia liderada por Steve Jobs tem cerca de 69% do mercado, contra 20% do seu principal competidor. Mas o relatório aponta que esse domínio deve diminuir aos poucos até 2015, quando projeta que a Apple terá menos da metade do mercado, 47%. Já o Google, no mesmo período, deve ver um crescimento para 39% na sua participação de mercado.

A Apple estimou que vendeu cerca de 1 milhão de iPad 2 no primeiro fim de semana de lançamento nos Estados Unidos no início do mês passado. Em comparação, a rival mais próxima da empresa em hardware, a Samsung Electronics pode ter vendido número similar de tablets Galaxy nos últimos três meses. O sistema operacional Android, do Google, surge como a única solução viável para fabricantes de tablets que não têm seu próprio sistema operacional.

Já a plataforma QNX, da Research in Motion (RIM), que será usada na nova versão do tablet PlayBook, ficará na terceira posição no mercado este ano, com uma fatia de 5,6%. O Gartner considera que essa parcela deverá crescer para 10% até 2015. "Vai levar tempo para a RIM atrair desenvolvedores e entregar um ecossistema atraente de aplicativos e serviços ao redor do QNX de maneira a posicioná-lo como uma alternativa viável à Apple e ao Android", disse a analista Carolina Milanesi, do Gartner. "Empresas serão as principais entidades interessadas nos tablets da RIM porque já têm infraestrutura da companhia instalada ", afirma.

O Gartner informou que espera vendas de 70 milhões de tablets este ano e de 108 milhões em 2012 ante 17,6 milhões em 2010.

Felpuda


Outrora afinadíssimo com o presidente Jair Bolsonaro, parlamentar sul-mato-grossense começou a ser escanteado em consequência de uma das crises políticas de grande repercussão. A figura entrou em campo e botou falação sobre o que estava ocorrendo, e isso soou que só como crítica pesada ao governo, que, como não poderia deixar de ser, não gostou nadica de nada. Há quem diga que o dito-cujo é muito levado “pelo sangue”. Então, tá!...