Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

COPA

Investigador vai buscar corrupção em concessões

26 AGO 12 - 10h:40globoesporte.com

O novo investigador chefe da Fifa, Michel García, afirmou que seu trabalho estará dedicado a revelar possíveis casos de corrupção na concessão da organização da Copa do Mundo à Alemanha em 2006 e nos futuros Mundiais de Catar e Rússia.

Em declarações adiantadas pela cadeia da televisão pública alemã "ARD", García anunciou que suas investigações não deixarão de fora nem o presidente da Fifa, o suíço Joseph Blatter.

- Quanto mais importante é a pessoa envolvida, mais importante é investigá-la - declarou o ex-promotor federal de Nova York, responsável por perseguir a máfia local e os grandes fraudadores financeiros de Wall Street.

Além disso, García assegura que suas investigações serão absolutamente independentes.
- Não haverá influência alguma. Para isso estou aí, para garantir a independência. Além disso, existe também a figura do juiz externo que decidirá sobre meus casos - explicou o jurista.

De origem hispânica, García, de 51 anos, recebeu da Fifa no último mês de julho a incumbência de investigar os possíveis casos de desvio de fundos e corrupção na principal entidade futebolística mundial.

 O novo investigador chefe da Fifa, Michel García, afirmou que seu trabalho estará dedicado a revelar possíveis casos de corrupção na concessão da organização da Copa do Mundo à Alemanha em 2006 e nos futuros Mundiais de Catar e Rússia.

Em declarações adiantadas pela cadeia da televisão pública alemã "ARD", García anunciou que suas investigações não deixarão de fora nem o presidente da Fifa, o suíço Joseph Blatter.

- Quanto mais importante é a pessoa envolvida, mais importante é investigá-la - declarou o ex-promotor federal de Nova York, responsável por perseguir a máfia local e os grandes fraudadores financeiros de Wall Street.

Além disso, García assegura que suas investigações serão absolutamente independentes.
- Não haverá influência alguma. Para isso estou aí, para garantir a independência. Além disso, existe também a figura do juiz externo que decidirá sobre meus casos - explicou o jurista.

De origem hispânica, García, de 51 anos, recebeu da Fifa no último mês de julho a incumbência de investigar os possíveis casos de desvio de fundos e corrupção na principal entidade futebolística mundial.
 

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

JUSTIÇA SUSPENDEU

Bolsonaro diz que vai manter passaporte diplomático de Edir Macedo

DIREITOS HUMANOS

Brasil cai três posições em ranking de liberdade de imprensa

SEMANA SANTA

Papa Francisco lava pés de brasileiro e outros 11 presos

Decisão de Toffoli libera Lula <br>para conceder entrevista
LIMINAR PERDEU EFEITO

Decisão de Toffoli libera Lula
para conceder entrevista

Mais Lidas