Sexta, 23 de Fevereiro de 2018

Polícia Civil

Investigações serão mantidas no feriadão

2 NOV 2010Por Vânya Santos e Michelle Rossi02h:50

O assessor de comunicação da Polícia Civil, Jefferson Luppi, garantiu que o feriado prolongado, que começou na última sexta-feira e termina hoje, não prejudicou as investigações referentes à morte do presidente da Câmara Municipal de Alcinópolis, vereador Carlos Carneiro (PDT). Conforme o delegado, a adjunta da 1ª Delegacia e também responsável pelas investigações, Roseman de Paula, se reuniu com sua equipe e expediu ordem de serviço para que os agentes de polícia executassem durante o feriado. "As diligências continuam", ressaltou o assessor.

O inquérito que apura a morte do vereador está sendo mantido em sigilo, mas é possível afirmar que, além dos depoimentos, documentos encontrados no carro da vítima, um Ecosport, podem ser imprescindíveis para desvendar o crime.

Os papéis apontavam divergências sobre o orçamento aprovado e as contas pagas pela Prefeitura de Alcinópolis. "Nós estávamos começando a investigar algumas discrepâncias entre o que aprovamos como orçamento e as contas pagas pelo Legislativo municipal", explicou o amigo de Carlos e também vereador, Aloísio Pereira (PMDB).

Carlos Carneiro foi assassinado na manhã da última terça-feira, com três tiros. O crime aconteceu na Rua Guia Lopes, em Campo Grande, ao lado do Hotel Vale Verde. Os pistoleiros Aparecido Souza Fernandes, 34 anos, e Irineu Maciel, 37 anos, foram presos em flagrante pelos investigadores de polícia Adilson Costa e Eduardo Alen, que passavam pelo local na hora dos disparos. Os autores contaram que a morte foi encomendada e que receberiam R$ 20 mil pelo serviço.

A família da vítima credita que o vereador tenha caído numa emboscada, já que uma pessoa teria ligado anonimamente para Carlos e combinado um almoço no Hotel Vale Verde. No local, o presidente da Câmara foi informado de que o estabelecimento não oferece almoço. (VS e MR)

Leia Também