Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, sábado, 15 de dezembro de 2018

IÊMEN

Intervenção policial deixa 1 morto e vários feridos

12 MAR 2011Por AGÊNCIA EFE14h:08

Pelo menos um manifestante morreu e dezenas ficaram feridos neste sábado no Iêmen em novos confrontos entre militantes da oposição e policiais em frente à Universidade de Sana, informaram fontes médicas à Agência Efe.

Os choques ocorreram no início da manhã deste sábado quando a Polícia tentou dispersar os milhares de manifestantes que há várias semanas se encontram no local, utilizado como lugar permanente de protestos contra o regime de Ali Abdullah Saleh. Segundo pôde comprovar a Efe, os agentes fizeram uso de bombas de efeito moral e disparos para o alto para dispersar os manifestantes e obrigá-los a retirar as tendas de campanha montadas em frente à Universidade de Sana.

Antes de sua intervenção, os agentes usaram alto-falantes para pedir que os manifestantes deixassem o lugar, mas os militantes da oposição ignoraram a ordem. Na última segunda-feira, um choque ocorrido quando os manifestantes tentavam montar mais tendas de campanha no local terminou com o saldo de um morto e cerca de 50 feridos.

Nos arredores da Universidade de Sana se desenvolvem protestos públicos desde meados de fevereiro, surgidos no calor das rebeliões populares na Tunísia e no Egito, primeiro para exigir reformas políticas e posteriormente para exigir a queda do regime de Saleh. Ontem, na cidade portuária de Áden, no sul do Iêmen, pelo menos três pessoas ficaram feridas em outros choques entre opositores e policiais quando os agentes tentaram impedir que centenas de participantes do protesto entrassem no Estádio 22 de Maio.

Os manifestantes queriam retirar as grandes fotografias do presidente iemenita que ficam no interior do estádio. Os distúrbios deste sábado acontecem dois dias depois de Saleh ter anunciado que antes do fim do ano promoverá mudanças na Constituição para firmar as bases de uma democracia parlamentar e reafirmar a separação de poderes. A oposição considera que as promessas são insuficientes e foram divulgadas tarde demais.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também