quinta, 19 de julho de 2018

Internos do Instituto Penal têm disponível acervo de mais de 2 mil livros

12 JAN 2011Por notícias ms04h:01

A biblioteca do Instituto Penal de Campo Grande (IPCG) possui 2.400 exemplares de livros e revistas disponibilizados aos internos setenciados em regime fechado. Considerado referência em educação e ressocialização no sistema prisional, o Instituto Penal recebeu o aumento de 30% do número de livros emprestados pelos internos.

“Esse aumento é resultado de um trabalho em conjunto realizado pelo governo do Estado, assistentes sociais e professores do Instituto Penal, que acreditam na reintegração do interno. A Educação faz parte dos três pilares que o instituto prioriza: Religião, Trabalho e Educação”, explica o diretor do IPCG, Tarley Barbosa.

A biblioteca do Instituto Penal possui hoje um acervo diversificado e didático que abriga dicionários, revistas, enciclopédias, livros, entre outros materiais educativos que colaboram na reeducação de 774 internos que estão no sistema prisional. Hoje, com o total de 2.400 livros, a biblioteca passou por uma reestruturação que foi feita após a rebelião que ocorreu em 2008, deixando a maioria dos exemplares queimados.

Reiniciando o setor de educação, o IPCG continuou recebendo doações feitas principalmente pelo governo do Estado, entre outras instituições públicas e entidades religiosas como a Federação Espírita de Mato Grosso do Sul e Igreja Adventista do Sétimo Dia. “Recebemos no último mês a doação de kits literários de obras regionais da Fundação de Cultura do Estado, e ainda estamos recebendo doações”, conta o diretor.

Em média, a biblioteca conta com cerca de 50 empréstimos por semana que auxiliam na remissão da pena. O interno pode realizar dois empréstimos (um livro e uma revista, duas revistas, ou dois livros), e tem o prazo de sete a 15 dias para fazer a devolutiva. Visando à organização e preservação do acervo, os internos que fazem mau uso dos livros levam um tempo indeterminado para realizar os empréstimos dos livros.

“Nossa ideia é avançar gradativamente criando novas formas de aprendizado. Queremos proporcionar cada vez mais maneiras de resgatar esse interno, oferecendo a ele possibilidades de adquirir conhecimento e informação”, afirma Tarley.

Obras mais lidas

Dentre as obras mais lidas pelos internos, em 1° lugar está o Código Penal Brasileiro. Segundo o diretor do IPCG, os internos procuram se basear no Código para entender e auxiliar o seu processo penal. O 2° lugar ficou para o livro Estação Carandiru, de Dráuzio Varella. O 3º livro mais lido pelos internos é o Dicionário da Língua Portuguesa, seguido de “Diário de um Mago”, do escritor Paulo Coelho, e o quinto lugar fica para o livro “Treinamento de Intuição – Maneiras de Sucesso", de Frderich Doucet.

Resenhas

O Instituto Penal está implantando uma nova forma de reeducação e estímulo da leitura. Os internos realizam o empréstimo dos livros e em seguida produzem uma resenha, escrevendo o que entenderam do livro citado. A iniciativa de entregar resenhas foi implantada no Instituto Penal há dois meses.

“Não é obrigatório, estamos começando devagar com essa produção de resenhas. O interno que quiser entregar, recebemos com muita alegria e passamos para os professores corrigirem”, observa o diretor. Segundo ele, a iniciativa vem ganhando dados positivos e satisfatórios para a reeducação do interno do sistema prisional. “Cerca de 50 internos já entregaram a resenha dos livros. Se continuarmos assim, conseguiremos estimular mais e mais a educação do interno”, conclui Tarley.

Leia Também