ESPORTES

Internacional tenta reverter vantagem argentina no Beira-Rio

Internacional tenta reverter vantagem argentina no Beira-Rio
06/05/2010 06:53 -


Porto Alegre

O Internacional recebe hoje no Beira Rio, às 18h30min (MS), o Banfield, precisando vencer por 2 a 0 ou por três gols de diferença para reverter a derrota sofrida por 3 a 1 do jogo de ida e avançar às quartas de final da Caça Libertadores da América.
No confronto da semana passada a equipe argentina deixou sérias dificuldades para o Colorado seguir no torneio, mas os gaúchos entrarão em campo com força total no ataque, apostando no apoio da torcida no Beira-Rio.
O técnico do Inter, o uruguaio Jorge Fossati, buscou nos últimos dias manter a calma e a concentração dos jogadores, evitando que o desespero pelo resultado acabe minando as chances de vitória do time. “É preciso trabalhar sabendo que faltam 90 minutos e que ninguém pode marcar nossos tempos durante o jogo”, declarou.

Segundo Fossati, os jogadores “não podem se desesperar a ponto de querer marcar o segundo gol antes do primeiro”. A mensagem do técnico foi muito clara: “Temos que ter muita calma, vontade e determinação” porque “é possível reverter esse resultado”.
Fossati contará com todos seus titulares, exceto o lateral Kléber, que foi expulso no jogo da semana passada em Buenos Aires. No lugar dele assumirá o zagueiro Fabiano Eller, que treinou ontem jogando na lateral esquerda.
O Banfield, por sua vez, informou que jogará na defensiva tática do 5-4-1, com o objetivo de impedir o ataque do Inter e reforçar a área do goleiro Lucchetti. O único atacante titular do time argentino no jogo desta noite será Ramírez.
smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".