Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, segunda, 19 de novembro de 2018

duelo

Inter vence, se recupera e agrava crise do Sport

24 JUN 2012Por G119h:55

Em um duelo entre equipes ameaçadas por crises, o Inter conseguiu amenizar a sua diante do Sport, na noite deste domingo, mesmo jogando na Ilha do Retiro, no Recife. A equipe gaúcha venceu por 2 a 0, conquistou a primeira vitória fora de casa no Brasileirão 2012, e se recuperou após a derrota no Beira-Rio diante do Botafogo na última rodada.

De quebra, expôs a má fase do time pernambucano, que somou a terceira derrota consecutiva. Os dois gols foram marcados na primeira etapa. Primeiro, Bruno Aguiar, contra o próprio patrimônio. Leandro Damião fez o segundo e consolidou a vitória por 2 a 0.
Com a vitória, o Colorado subiu três posições na tabela e acaba o domingo em sexto, com 11pontos - a um do G4. No próximo domingo, tentará manter o bom momento no Nordeste ao enfrentar o Bahia, de Paulo Roberto Falcão, em Pitua.

- Conseguimos fazer tudo o que não foi feito na semana passada e não demos chances ao Sport - destacou D'Alessandro.

Já o Leão ficou em 16º, na porta da zona de rebaixamento, com apenas cinco. Em razão disso, a diretoria deverá acelerar a busca por reforços para todos os setores. Uma das prioridades é um camisa 10 para o lugar de Marcelinho Paraíba, que saiu após o Pernambucano. Na próxima rodada, buscará a recuperação diante do Coritiba, no Couto Pereira.
- O Inter tem uma equipe qualificada, e demos muito espaço. No primeiro tempo, eles realizaram uma boa partida, e nós não conseguimos marcar como tínhamos feito em outros jogos - avaliou o goleiro rubro-negro Magrão.

Na frente da torcida, o Sport saiu em blitz ao ataque e quase surpreendeu o Inter nos primeiros minutos. Logo aos quatro, após erro na saída de bola, Felipe Azevedo recebeu na intermediária, enquadrou o corpo e caprichou no chute, mandando rente ao poste direito de Muriel.

A pressão dos donos da casa durou pouco. Progressivamente, o Inter assumia o controle da partida, se destacando coletivamente, com bom toque de bola. Era outro time em relação ao que caiu diante do Botafogo. Tinha ímpeto e organização.

Mas o primeiro gol saiu em uma trapalhada defensiva. O meia Oscar recebeu na área e, quase da linha de fundo, cruzou rasteiro. Ninguém contava com a perna do zagueiro Bruno Aguiar. O defensor interrompeu o rumo da bola, mas contra a própria meta, enganando o arqueiro Magrão.

Com melhor qualidade técnica, os gaúchos seguiam mais perigosos na partida. De forma envolvente, conseguiam ingressar na área do Leão. Primeiro, Guiñazu surgiu de surpresa, mas chutou fraco. Na sequência, Kléber invadiu a área pelo lado esquerdo e bateu cruzado, exigindo grande defesa de Magrão. Oscar provavelmente teria ampliado, se tivesse chegado um segundo antes, mas a bola acabou saindo alta.

O camisa 11 Reinaldo era o jogador mais lúcido da equipe pernambucana. Arisco, se livrou de dois marcadores aos 27 minutos, ingressou na área e, na hora do arremate, disparou por cima. Descontente com o rendimento da equipe, o técnico Vagner Mancini já havia colocado jogadores em aquecimento quando viu o Inter marcar o segundo, aos 38. Após ótima triangulação, Guiñazu se lançou na área e rolou para Damião. Aí, ficou fácil para o camisa 9 apenas escorar para as redes.

Para o segundo tempo, Mancini depositou as esperanças em Jael, que entrou na vaga de Willians. Não alterou o panorama da partida, e os gaúchos continuaram mais perigosos. Aos cinco minutos, Damião deu um susto ao cair com dores no tornozelo. Mas, no minuto seguinte, já estava recuperado na área adversária para aplicar um belo chute de canhota.

No contra-ataque, a equipe gaúcha seguia desperdiçando chances. Primeiro, com Dagoberto, que apareceu com liberdade, mas arrematou fraco. Depois, foi a vez de Guiñazu, destaque na partida, entrar na área e chutar rente ao travessão.

Sem qualidade técnica para se impor, o Sport tentou pressionar de forma tímida e não conseguiu descontar. O atacante Ruan entrou na vaga de Marquinhos Paraná e, logo no primeiro lance, chutou cruzado, sem muito perigo. A decepção ficou por conta de Henrique. Escalado como a grande esperança de gols, sucumbiu com má atuação e acabou substituído.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também