Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

domingo, 17 de fevereiro de 2019 - 17h02min

Copa 2014

Inter não tem dinheiro para obras

3 MAR 11 - 11h:08Globoesporte.com

O projeto é maior do que a conta bancária. Na manhã desta quinta-feira, um dia depois de uma reunião decisiva no Conselho Deliberativo, o presidente do Inter, Giovanni Luigi, concedeu entrevista coletiva e deixou claro que o clube não tem dinheiro para tocar as obras do Beira-Rio com recursos próprios, como prega o atual modelo. Com isso, é claro o risco de o estádio colorado não receber a Copa do Mundo de 2014. A diretoria, porém, confia que conseguirá driblar a incerteza. E vê a parceria com uma empreiteira como solução.

Os problemas vêm sufocando o Beira-Rio com força cada vez maior desde o ano passado, quando o Comitê Organizador Local da Fifa avisou ao clube que não confiava no projeto de reformas com recursos próprios. A mudança na diretoria fez Luigi dar ao executivo-chefe do clube, Aod Cunha, a função de vasculhar o modelo propostao. A conclusão foi assustadora. Na visão da diretoria, seguir com o modelo inicial pode detonar com as finanças do clube.

O que a cúpula do clube quer é a aprovação, no Conselho Deliberativo, da proposta de parceria com a empreiteira Andrade Gutierrez. O valor inicial, de R$ 130 milhões, já pulou para R$ 200 milhões.

- O melhor de tudo seria se o clube tivesse o dinheiro. Não é o caso. Já que o clube, há dois anos, se propôs a se candidatar a ser sede da Copa, e vendemos isso como clube, agora temos que encontrar o melhor modelo – disse Luigi.

A mudança na diretoria representou uma mudança de projeto. E o Inter perdeu tempo. Agora, se vê mergulhado na areia movediça de seu próprio estádio.

- Essa discussão do estádio, a decisão do clube de sediar a Copa de 2014, foi tomada há muito tempo. A decisão sobre o modelo do autofinanciamento começou há muito tempo. Onze instituições financeiras foram buscadas. Isso não foi possível. O primeiro fato é que se esse modelo tivesse funcionado, não estaríamos tendo essa discussão aqui. Em janeiro, quando tomei conhecimento disso, o presidente do clube me pediu que tecnicamente e de maneira descolada das circunstâncias políticas do clube, fizesse uma avaliação de como resolver, ao mesmo tempo, três desafios em um período muito curto: ter um estádio novo, fazer isso sem comprometer as finanças do clube e sediar a Copa do Mundo de 2014. Essa complexidade nos levou à conclusão de que a única opção é essa parceria – afirmou Aod Cunha.

A tendência é de que o Conselho, onde a atual diretoria tem maioria, aprove a parceria com a empreiteira. Caso não aprove, o clube promete fazer o possível para respeitar a decisão dos conselheiros.

- Hoje, entendemos que esse modelo não é viável. Se o Conselho definir dessa forma, temos que encontrar um denominador. Não vemos essa possibilidade, mas temos que trabalhar – comentou Luigi.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Desbloqueio de rio pela PF resulta   em confronto com manifestantes
RIO PARAGUAI

Desbloqueio de rio pela
PF resulta em confronto

PM encontra 185 quilos de droga em residência no bairro Itamaracá
TRÁFICO

PM encontra 185 kg de droga em residência no Itamaracá

Governo espera resultado de prova para avaliar novo concurso
PROFESSORES

Estado espera resultado para avaliar novo concurso

Militares e PSL disputam sucessão de Bebianno no governo Bolsonaro
BRASIL

Militares e PSL disputam sucessão de Bebianno no governo Bolsonaro

Mais Lidas