Domingo, 25 de Fevereiro de 2018

CRIMINALIDADE

Integrantes de quadrilha que assaltou BC fogem no Ceará

6 FEV 2011Por FOLHA ONLINE12h:08

Dois integrantes da quadrilha que assaltou o Banco Central de Fortaleza, em 2005, fugiram da penitenciária IPPOO 2 (Instituto Penal Professor Olavo Oliveira 2), em Itaitinga (CE), na tarde deste sábado. Eles fugiram com a ajuda de um grupo armado, que também libertou outros oito presos. A ação deixou dois feridos, entre eles um sargento e um agente penitenciário.

Entre os fugitivos estavam Marcos Rogério Machado de Morais, conhecido como "Rogério Bocão", e Edésio Batista das Neves Sobrinho. Bocão é apontado como o responsável pelo projeto do túnel cavado pela quadrilha que roubou R$ 164,7 milhões há seis anos. Bocão foi preso em São Paulo, em 2007.

De acordo com a secretaria da Justiça do Ceará, a fuga dos presos aconteceu no horário da visita masculina, no momento do atendimento penitenciário. Armados, os presos renderam os agentes e fugiram.

Do lado de fora, dois veículos aguardavam os presos para a fuga. Houve troca de tiros entre os criminosos e os seguranças da penitenciária. Um sargento da Polícia Militar foi atingido de raspão no braço, e um agente penitenciário levou uma coronhada na cabeça.

Segundo a SSPDS (Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social do Ceará), o objetivo principal da quadrilha era libertar Alex Sousa Ribeiro, o "Alex Gardenal", um dos mais perigosos do Estado.

A SSPDS informou que os agentes penitenciários e os policiais militares que estavam de plantão estão sendo ouvidos pela Superintendência da Polícia Civil. Até a noite deste sábado, as buscas pelos fugitivos prosseguiam nos arredores do presídio.

Mariana Lobo Botelho, secretária de Justiça do Ceará, disse que a fuga dos presos vai ser investigada, bem como a entrada de armas na penitenciária, que foram usadas pelos bandidos na fuga. Ela informou ainda que será aberto um inquérito policial.

Desde o assalto milionário ao Banco Central de Fortaleza, em 2005, a maioria das 36 pessoas envolvidas no crime foi presa. Mas somente cerca de R$ 50 milhões foram recuperados.

Leia Também