PESQUISA

Instituto norte-americano premiará pela primeira vez projetos brasileiros de tecnologia e inovação

Instituto norte-americano premiará pela primeira vez projetos brasileiros de tecnologia e inovação
14/07/2012 13:30 - agência brasil


 Pesquisadores brasileiros ou estrangeiros residentes no Brasil, de quaisquer áreas, com idade até 35 anos, poderão se candidatar ao primeiro prêmio TR35, que o Instituto Tecnológico de Massachusetts (MIT), dos Estados Unidos, está trazendo ao país. A iniciativa conta com apoio da Incubadora de Empresas da Coordenação de Programas de Pós-Graduação de Engenharia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (Coppe-UFRJ).

O objetivo da premiação é destacar trabalhos inovadores capazes de revolucionar o mundo da tecnologia e dos negócios em um futuro próximo. Para a gerente de Operações da incubadora da Coppe, Lucimar Dantas, é uma oportunidade inédita que os pesquisadores no Brasil têm para participar de um prêmio que já existe há dez anos. Segundo ela, os dez vencedores da primeira edição brasileira passarão a ter “visibilidade internacional”.

Embora não haja prêmio em dinheiro, a gerente ressaltou que a iniciativa poderá render frutos mais adiante para os pesquisadores, facilitando, inclusive, a atração de investimentos para os projetos. “Haverá uma visibilidade dessas pessoas para investidores, parceiros estratégicos. Com certeza, é uma janela de visibilidade”, reiterou em entrevista à Agência Brasil.

Em uma década de premiação, foram contemplados com o TR35 pesquisadores como Mark Zuckerberg e Sergey Brin, criadores, respectivamente, da rede social Facebook e da empresa desenvolvedora de serviços pela internet Google.

Os interessados podem desenvolver seu trabalho em universidades e centros de pesquisa brasileiros, públicos e privados, e também em empresas. Não há exigência de vinculação com a incubadora da UFRJ.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".