sexta, 20 de julho de 2018

SAFRA DE SOJA

Inoculação deve ser feita a cada plantio

13 OUT 2010Por Embrapa Agropecuária Oeste19h:00

Embora, em geral, não seja detectada a deficiência de nitrogênio na cultura da soja em áreas onde tradicionalmente se cultiva esta espécie no Brasil, ganhos significativos no rendimento de grãos têm sido alcançados quando a aplicação de inoculantes nas sementes - com estirpes de bactérias fixadoras de nitrogênio - é realizada todos os anos. Resultados de estudos da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), com diferentes cultivares e diversos sistemas de manejo, nas principais regiões produtoras de soja no País, abrangendo as regiões Sul e Centro-Oeste, indicam, em média, aumento em torno de 4,5% no rendimento da cultura.

De acordo com pesquisa realizada na Embrapa Agropecuária Oeste (Dourados, MS), nas últimas dez safras de soja (2000/2001 a 2009/2010), em áreas de cultivos tradicionais e com população elevada da bactéria (rizóbio), que nodula e fixa nitrogênio em soja, mostraram que os ganhos de rendimento de grãos com a reinoculação (inoculação a cada safra) foram, em média, de 9,1% em relação às plantas que não haviam sido inoculadas nos mesmos períodos considerados. O ganho potencial representou um saldo de quase três mil quilos de grãos por hectare, considerando as dez safras avaliadas.

"O produtor deve usar o inoculante sempre, em todas as safras, mesmo porque é um insumo de baixo custo e o seu uso traz retornos econômicos significativos para o agricultor", explica o pesquisador da Embrapa Agropecuária Oeste, Fábio Martins Mercante.

 Fixação de nitrogênio

O processo de fixação biológica de nitrogênio (FBN) resulta da transformação do nitrogênio (N2) em amônia (NH3), intermediado pela enzima dinitrogenase, presente em determinados grupos de bactérias. No caso da soja, a simbiose ocorre com bactérias das espécies Bradyrhizobium japonicum e B. elkanii (coletivamente chamadas de "rizóbio"), sendo capazes de formar uma estrutura especializada (nódulo) nas raízes, onde captam o N2 atmosférico, que, após a sua transformação, poderá então ser utilizada pela planta. Em troca, a planta fornece à bactéria energia obtida através da fotossíntese. Assim, forma-se uma perfeita associação, sendo planta e bactéria mutuamente favorecidas.

Fatores nutricionais ou ambientais devem ser considerados para aumentar os benefícios do uso de inoculantes na cultura da soja. A fixação biológica de N2 pode ser afetada drasticamente, por exemplo, pela deficiência de fósforo (P). Da mesma maneira, a falta de cálcio (Ca) pode afetar o desenvolvimento da planta, o estabelecimento da bactéria e a interação planta-rizóbio.

O pesquisador relaciona ainda os fatores ambientais, como temperaturas elevadas do solo (principalmente acima de 36ºC) e estresse hídrico, que afetam desde a sobrevivência da bactéria até as etapas da interação entre a planta e a bactéria (rizóbio). "Nesta situação, manejos do solo mais conservacionistas, como o sistema plantio direto, são de extrema importância, porque contribuem significativamente para a redução da temperatura nas camadas mais superficiais, além de contribuir para manutenção da umidade do solo", explica.

 

Áreas de primeiro cultivo

"Considerando que a soja não é uma cultura nativa do Brasil e a bactéria (rizóbio), que fixa o nitrogênio atmosférico nesta espécie, de modo eficaz, não existe naturalmente nos solos brasileiros, a inoculação destes rizóbios nas sementes de soja é indispensável", alerta Fábio Mercante.

Segundo ele, como alguns fungicidas aplicados nas sementes podem reduzir a nodulação e a fixação biológica de nitrogênio na cultura da soja, o agricultor poderá optar pela utilização do dobro da dose de inoculantes utilizados em cultivos tradicionais de soja. "Nestas condições, a garantia de um maior número de células viáveis das bactérias poderá resultar numa maior nodulação, fixação biológica de nitrogênio e, consequentemente, maiores rendimentos da cultura", finaliza.

Ganho de rendimento de grãos de soja reinoculada com Bradyrhizobium em solos com população estabelecida, utilizando-se diferentes cultivares.

Leia Também