Sexta, 23 de Fevereiro de 2018

SEGURANÇA

Inmetro alerta sobre necessidade de comprar brinquedos com selo de garantia

2 OUT 2010Por 14h:28

DA REDAÇÃO

O dia das Crianças está próximo e o Inmetro alerta sobre a atenção que os pais precisam ter na hora de comprar os presentes. O orgão chama a atenção para que os comercializados no Brasil, ou mesmo os importados, para crianças de até 14 anos, devem conterm o selo do Inmetro, que é a principal evidência de que o produto é legal e está em conformidade com os requisitos técnicos estabelecidos pela ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas).

Para obter o selo o produto passa por vários ensaios laboratoriais e para ajudar os pais a não errarem na escolha, algumas recomendações foram feitas pelo Inmetro:

- compre somente brinquedos que contenham o selo do Inmetro. A presença dele é obrigatória e deve estar sempre visível, impresso na embalagem, gravado ou numa etiqueta afixada no produto, e deve conter a marca do Inmetro e o logotipo do organismo acreditado pelo Inmetro que o certificou;

- todo brinquedo importado também deve ser submetido a ensaios em laboratórios acreditados ou reconhecidos pelo Inmetro e deve trazer o selo, bem como todas as informações presentes na embalagem e no manual de instrução em língua portuguesa, bem como especificar as informações de matérias-primas usadas no mesmo;

- selecione o brinquedo considerando a idade, o interesse e o nível de habilidade da criança. A faixa etária a que ele se destina deve constar na embalagem, assim como informações sobre o conteúdo, instruções de uso, de montagem e eventuais riscos associados à criança, além do CNPJ e do endereço do fabricante. As informações obrigatórias na embalagem demonstram a responsabilidade do fabricante ou importador;

- se você tem filhos em idades diferentes, redobre a atenção para que os menores, em especial aqueles até 3 anos, não tenham acesso aos brinquedos dos mais velhos. Alguns produtos podem conter partes cortantes ou muito pequenas, que podem se desprender e ser ingeridas ou mesmo inaladas, causando sufocamento;

 

- compre o brinquedo em pontos de venda legalmente estabelecidos, jamais em mercado paralelo. O mais barato pode sair muito caro. Ensaios conduzidos pelo Inmetro em produtos não certificados nos laboratórios evidenciaram várias irregularidades, em especial a presença de metais pesados e ftalatos, substância que pode ser nociva à saúde se utilizada acima dos limites estabelecidos pelo regulamento;

- na hora da compra, exija nota fiscal, tíquete do caixa, recibo ou equivalente que somente empresas legalizadas possuem. Esse simples hábito pode favorecer a reclamação do consumidor no caso de o produto ser impróprio para consumo e/ou defeito do mesmo;

- retire a embalagem do brinquedo antes de entregá-lo à criança, a fim de prevenir acidentes com grampos e similares, e até mesmo o risco de sufocamento;

- leia com atenção as instruções de uso presentes na embalagem ou em seu interior e procure repassar estas instruções para a criança. Procure, ainda, supervisionar o uso do brinquedo pelas crianças;

- os pais devem redobrar a atenção com brinquedos eletrônicos. Se usados indevidamente, ou se mal projetados ou construídos, podem causar graves acidentes, como choque elétrico ou queimaduras.

Serviço

Caso o consumidor encontre algum brinquedo sem o selo do Inmetro, pode entrar em contato com a Ouvidoria da AEM/MS, por meio do telefone 0800 67 52 20.

Com informações da Assessoria

Leia Também