Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

EX-BEATLE

Ingressos para Paul McCartney no Rio começam a ser vendidos na terça

Ingressos para Paul McCartney no Rio começam a ser vendidos na terça
07/04/2011 16:47 - Folha


Os ingressos para o show de Paul McCartney no Rio começarão a ser vendidos a partir da meia-noite da terça-feira, em esquema de pré-venda. A apresentação do ex-beatle acontecerá no dia 22 de maio, no Engenhão. O estádio carioca tem capacidade para 45 mil pessoas.

A pré-venda será para os clientes dos cartões Bradesco Visa, Bradesco Mastercard e American Expresss. O limite de ingressos será de seis por pessoa. Os bilhetes serão negociados pelo site Ingresso.com.

A venda para o público em geral será aberta às 9h da quinta-feira. Os preços cobrados pelos organizadores serão de R$ 700 (pista prime), R$ 340 (setor inferior leste e oeste), R$ 300 (pista), R$ 180 (setor superior leste e oeste) e R$ 150 (setor inferior leste e oeste). Os quatro primeiros setores terão meia-entrada.

O show carioca faz parte da turnê 'Up and Coming', que em 2010 passou por São Paulo e Porto Alegre no ano passado.

McCartney volta ao Rio 19 anos após duas apresentações históricas no Maracanã. Na ocasião, em um dos shows, no dia 21 de abril de 1990, o músico tocou para uma plateia de 184 mil pessoas, maior público pagante em um concerto de rock em estádio. Foi a primeira vinda do ex-beatle ao Brasil.

Ele retornou ao país em 1993 e no fim do ano passado, mas não tocou no Rio. A classificação etária para o show é 14 anos.

Antes do Rio, o ex-beatle tocará no Peru e no Chile. No dia 9 de maio, McCartney se apresenta pela primeira vez em Lima. Dois dias depois, ele volta ao Chile, onde fará show no Estádio Nacional. O último show do ex-beatle em Santiago foi em 1993.

Felpuda


Outrora afinadíssimo com o presidente Jair Bolsonaro, parlamentar sul-mato-grossense começou a ser escanteado em consequência de uma das crises políticas de grande repercussão. A figura entrou em campo e botou falação sobre o que estava ocorrendo, e isso soou que só como crítica pesada ao governo, que, como não poderia deixar de ser, não gostou nadica de nada. Há quem diga que o dito-cujo é muito levado “pelo sangue”. Então, tá!...