Campo Grande - MS, terça, 21 de agosto de 2018

RENDA

Inflação tem peso diferente para cada classe

8 MAI 2011Por FOLHA ONLINE09h:02

A representante de vendas Claúdia Bocault não precisou ver os números da inflação para apontar rapidamente o que tem aumentado de preço nos seus gastos. "Comer fora ficou mais caro", diz.

Com uma renda superior a dez salários mínimos por mês, ela afirma que o supermercado não é território do grosso das suas despesas. "Moro sozinha, não compro produtos básicos, como arroz e feijão. Mas percebi que a gasolina está ficando mais cara", conta.

A Folha acompanhou três consumidoras, na última semana, em São Paulo. O objetivo era anotar o que, na lista de compras de cada uma delas, tinha subido de preço. A avaliação era feita pela própria consumidora, numa espécie de medição do que seria a sua inflação pessoal.

Bocault consome itens importados e percebeu que esses produtos, como vinho e azeite, estão mais em conta.

Carne mais cara

A atriz Elvira Roethig, 56, diz que sente o aumento dos preços no supermercado. A renda da família é inferior a R$ 3 mil mensais.
Ela tem um consumo que se poderia chamar de racional. Compra o que acredita ser indispensável em casa. Mas só leva em maior quantidade o que percebe que está barato. "É um investimento."

"Nos produtos básicos, como arroz, feijão e óleo, é melhor comprar da marca boa e comer pouco do que comer muito da marca ruim", opina. Nas despesas do mês, ela percebeu que os remédios para controlar a pressão ficaram mais caros.

A vendedora Angélica Santos, 30, mora sozinha em Barueri (SP). Todos os dias, pega ônibus e trem para chegar ao trabalho, na zona oeste de São Paulo.

"Gasto muito com transporte e com aluguel. E os dois subiram", conta a vendedora. Integrante da classe D/ E, Angélica raramente come fora.

Leva marmita para o trabalho. A carne sumiu do carrinho no ano passado. "Virei vegetariana, não faz falta", conta. Ela vai quase todos os dias ao mercado, atrás do melhor preço. "Ontem, eu olhei o macarrão instantâneo e não comprei. Estava caro. Hoje, achei mais barato e comprei".

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também